quinta-feira, junho 30, 2011

O homem Unidimensional

de Marcuse colocou, já há algum tempo, as coisas de forma clara, somos o produto de uma sociedade massificada e consumista e as nossas acções, ideias e desejos impostos por forças exteriores. Uma  sociedade, portanto, suportada por falsas necessidades, como o descanso e a distracção que nos levam a comportar-nos tal como somos publicitados.
Esta foto é, como está bom de ver, uma montagem (à atenção de Habermas e à sua neutralidade técnica e científica), trata-se do aniversário de um amigo que se esqueceu de me convidar, será que teria feito ainda pior? Ou é a razão de Marcuse?
Nunca saberemos...


Joâo Paulo Pedrosa

domingo, junho 26, 2011

António José Seguro

esteve em Leiria numa sala cheia de militantes e simpatizantes do PS. Seguro encantou os militantes, tem ideias claras para o PS, como há muito se tinham vindo a degradar é, além do mais, um homem sério e preparado para ser Secretário-Geral e, consequentemente, Primeiro-Ministro. O PS está no bom caminho. Força António e boa sorte!


João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 17, 2011

Se pensam que não há paraíso, enganam-se

pois ele está aqui, no bar do Guindalense Futebol Clube, num terraço na zona da Sé do Porto, quatro pessoas a jogar dominó e eu a contemplar esta paisagem. Ser rico ou entrar no paraíso é mesmo isto assim.


João Paulo Pedrosa

domingo, junho 12, 2011

Não é D. Fuas Roupinho

"que na terra e no mar resplandece juntamente, com o fogo que acendeu junto da serra de Abila, nas galés da Maura gente. Olha como, em tão justa e santa guerra, de acabar pelejando está contente: Das mãos dos Mouros entra a feliz alma, triunfando, nos céus, com justa palma” como escreveu Camões nos Lusíadas, mas foi, justamente, na Nazaré que, numa festa de aniversário de um amigo comum, nos juntamos hoje com António José Seguro, dado o momento político presente, não podiam faltar os discursos e o bom humor. Ambos excelentes!


João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 10, 2011

António José Seguro

apresentou a sua candidatura a Secretário-Geral com grande entusiasmo perante centenas de socialistas, quase todos militantes de base, e lia-se-lhe nos olhos um brilho como que a dizer-nos que liderar o PS é uma extraordinária honra e um imenso orgulho. 
Seguro é assim, gosta do PS como nós gostamos, como grande partido do povo, perfeitamente identificado com os portugueses e sempre a defender, mesmo nos momentos mais difíceis, as causas mais nobres, é também por isso que gostamos dele e o apoiamos.


João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 08, 2011

Em jeito de despedida

na passada sexta-feira, no encerramento da campanha eleitoral, todos quiserem tirar uma foto com o nosso Secretário-Geral. Aqui, alguns camaradas de Leiria também não deixaram de dar um abraço amigo a Sócrates.


João Paulo Pedrosa

Razões do meu apoio

Neste novo ciclo da vida do PS, decidi apoiar António José Seguro para Secretário-Geral do PS por entender que ele reúne as qualidades, políticas e pessoais, capazes de fazer ressurgir, de novo, o PS na sociedade portuguesa. 
É um homem sério, um político experimentado, com fortes convicções socialistas e com um espírito diálogo essencial para o período de construção de uma alternativa a esta Direita que está a tomar conta de Portugal e da Europa.  
Para além das razões políticas e de competência, há também, não o escondo, razões afectivas.
António José Seguro vive nas Caldas da Rainha, no seio de uma grande família socialista que muito nos honra e sempre foi um amigo da federação distrital do PS de Leiria, disponibilizando-se em qualquer momento para as nossas iniciativas, para os nossos candidatos autárquicos e para todas as iniciativas políticas das nossas freguesias e concelhos. É, portanto, também, um dos nossos, de quem nos sentimos próximos e de quem gostamos muito.
Desejo-lhe, por tudo isto, o maior sucesso, o PS e a esquerda portuguesa precisam de políticos assim.


João Paulo Pedrosa

terça-feira, junho 07, 2011

O dia seguinte


O país virou à direita, como nunca antes o tinha feito e, daqui a 6 meses, temos toda a gente na rua, tão simplesmente porque o programa do PSD não de adequa ao país que temos. O PS, na oposição só deve estar comprometido com aquilo que assinou internacionalmente, nem uma virgula ou um cêntimo mais, e nós sabemos como Passos Coelho pretende ir ainda mais longe.
Para além dos compromissos internacionais, na oposição, o PS deve agora concentrar a sua actuação numa clara e inequívoca opção doutrinária, a saber, telegraficamente:
- Valorizar o papel do Estado naquilo que ele é garantia de diminuição das desigualdades sociais e de serviço público aos cidadãos contra a fúria liberalizadora e privatizadora do governo PSD/CDS ;
- Colocar as empresas no centro dos factores decisivos para a recuperação da economia, criação de emprego e bem estar social;
- Pugnar por uma organização social simplificada que favoreça o apoio às famílias na sua diversidade, às famílias com filhos e às famílias com idosos a cargo, em particular.
- E um combate pela decência pública e de cidadania, contra a corrupção, contra o trafico de influências, combatendo as assimetrias e a protecção dos poderosos.
 Do resto encarregar-se-à o PSD e o CDS
Ser socialista é isto mesmo, uma luta permanente contra a desigualdade.


João Paulo Pedrosa

domingo, junho 05, 2011

Já votei, no primeiro





João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 01, 2011

No habitáculo de uma aeronave da Embraer

A Setsa, do grupo Iberomoldes, liderado pelo Engº Menezes, em consórcio com um conjunto de empresas nacionais desenvolveu um projecto de interior para um jacto da Embraer, mais leve, mais funcional e mais ecológico. Hoje, na Marinha Grande, foi apresentado. produtos portugueses ao serviço das mais exigentes soluções tecnológicas, como é, evidentemente, a industria aeronáutica.
É muito reconfortante saber que, em algumas áreas, competimos com os melhores, sem investimento em ciência e tecnologia, como tem feito este governo, nada disto seria possível e isso é tanto mais importante quanto tivermos presente que o nosso futuro passa por aqui. Fundamentalmente por aqui.
Como não é expectável que possa viajar num jacto desta qualidade aproveitei para testar o protótipo.


João Paulo Pedrosa

O maior de sempre

 foi o comício que realizámos ontem em Leiria. Nunca, de facto, tínhamos tido um comício assim, repleto. Do norte ao sul do distrito os socialistas e os muitos independentes que apoiam a nossa candidatura mobilizaram-se para afirmar o seu apoio a José Sócrates. Este comício foi, sobretudo, isso. E no fim, já num registo mais pessoal teve oportunidade de me agradecer o esforço e afirmar o seu contentamento com tudo o que se tinha passado. Também não foi por acaso que ele afirmou que os comícios da Praça Rodrigues Lobo são sempre os mais bonitos do país, é verdade. 
Este dia é sempre de grande responsabilidade e alguma tensão, não nego que ao fim da noite me senti aliviado, mas também contente. Sejam quais forem os resultados de domingo, este comício demonstrou também o quanto Leiria está grata a José Sócrates. Enquanto Primeiro-Ministro realizou neste distrito grandes investimentos públicos que ajudaram a melhorar a vida das pessoas e foi um incansável apoiante das empresas e dos empresários, realizando e construindo aqui os mais decisivos apoios a quem verdadeiramente cria emprego e riqueza.
Enquanto Primeiro-Ministro Sócrates foi um amigo de Leiria, justamente, e os leiriense, reconheceram isso ontem, saudando-o efusivamente e dizendo presente. 
Como disse Chico Buarque, foi bonita a festa, pá.


João Paulo Pedrosa