sexta-feira, abril 30, 2010

Na Assembleia Municipal da Marinha Grande

ainda há pouco o BE e o PCP, na evocação do 1º Maio, como era esperado, fizeram um comício contra o governo. O deputado do BE chegou mesmo a evocar o "património" das nacionalizações, da reforma agrária e do poder popular para se congratular com a data. Em Lisboa os bem falantes, especialistas nas câmaras de televisão, dizem que são socialistas e social-democratas, no país real são, o que sempre foram.
Aproveitei, na minha saudação, para lembrar que todas as conquistas dos trabalhadores (as mais significativas, pelo menos) foram alcançadas em democracia e não em ditadura.´Nunca é demais lembrá-lo.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, abril 28, 2010

Vade retro

Francisco Louçã, nem num momento de sobressalto geral, é capaz de um gesto patriótico. Quando o país está a ser atacado internacionalmente pelos especuladores financeiros, Louçã reforça as suas tiradas populistas e demagógicas. Afinal, ainda não foi desta que comunicou ao país que vivemos momentos de dificuldades e que nem tudo é simples e fácil como costuma propalar.
Na minha modesta opinião, para a democracia parlamentar, é a pior e mais perigosa personalidade política que vimos aparecer nos últimos (muitos mesmo) anos.



João Paulo Pedrosa

terça-feira, abril 27, 2010

Casa do Douro

é um assunto incontornável numa visita como a que estamos a efectuar, alguns deputados estão reunidos na Régua, outros, no salão nobre da câmara municipal de Lamego. Neste momento, o Engº Mesquita Montes, figura lendária dos assunto durienses fala, em termos retrospectivos, dos problemas desta instituição.
Na Casa do Douro foram referenciadas pelos vitivinicultores as boas perspectivas que assumem sobre a resolução das dívidas da Casa do Douro. Há uma proposta do Ministro da Agricultura que pressupõe a assumpção dessas dívidas. Enquanto há um diálogo profícuo com vista ao pagamento das dívidas, o BE, ontem, no jornal i, falava das dívidas do Instituto da Vinha à Casa do Douro.

Razão tinha George Orwell, ignorância é força, guerra é paz...




João Paulo Pedrosa

segunda-feira, abril 26, 2010

Prestígio da actividade parlamentar


A comissão de agricultura e pesca está de visita à região do Dão Lafões e, neste momento, na câmara municipal de Oliveira do Hospital, encontramo-nos reunidos com produtores florestais. Os intervenientes convidados vêm com bom espírito, colocam os problemas e, sobretudo, esperam compreensão e ajuda para superar os problemas. Infelizmente, os partidos políticos não compreendem a diferença entre estas reuniões e o debate parlamentar. Neste momento, a deputada do Bloco de Esquerda, discorre uma retórica bolorenta sobre a actividade do seu partido... "o BE já questionou o governo", " o BE acha que o governo já devia ter resolvido", "o BE acha que há falta de vontade em resolver", etc, etc.

Será que esta gente pensa que o prestígio da actividade parlamentar se consegue assim? ou o objectivo é mesmo esse!

Pobre país, o nosso!
João Paulo Pedrosa

domingo, abril 25, 2010

Estados de espírito no 25 de Abril



João Paulo Pedrosa


25 de Abril 2010 - Notas soltas

Hoje, como em poucas vezes se terá visto, estivemos em presença de discursos de ruptura, como que a anunciar um tempo novo na clarificação política em Portugal.

Rosas, um ícone da esquerda revolucionária mais radical, a anunciar a chegada (próxima) do poder para todos os naufragados do totalitarismo comunista, agora que se reclamam socialistas e social-democratas. Nda mudou afinal, ontem, como hoje, o mesmo deslumbramento, sempre longe do povo...
O CDS assustado com a "pilhagem" que o PSD se prepara para fazer nas suas hostes, enerva-se. Hoje, foi um pouco penoso ver a cada frase de coisa nenhuma, os aplausos frenéticos de Portas.
O PCP livrou-se dos jovens "pioneiros" que enxameiam o grupo parlamentar e apostou no seguro, José Soeiro, a mostrar que o PCP não quebra nem cede.
Aguiar Branco, o radical, fez o que se esperava a Passos Coelho, contra o Estado regulador, contra a Constituição, contra o Estado social, desde que Pedro Arroja abandonou o palco mediático em Portugal que não se via nada assim. Ao menos clarifica, vamos ver é por quanto tempo...

João Soares foi institucional, fez a apologia dos valores e da governação de esquerda e lembrou Manuel Alegre. Certeiro.

O Presidente Jaime Gama, a propósito das presidenciais falou de prudentes e de impacientes. Sabendo, como sabemos, que o nosso presidente é um grande político da meta linguagem, nem sequer me atrevo a interpretações.

O PR fez o que se esperava e, ao contrário do que disseram por aí, houve muitos socialistas a aplaudir o PR, não o candidato Cavaco Silva, mas o Presidente da República.



João Paulo Pedrosa

25 de Abril, pela manhã, no Parlamento







João Paulo Pedrosa

quinta-feira, abril 15, 2010

A semana de Leiria no Parlamento



Por iniciativa dos deputados eleitos pelo distrito de Leiria decorreu hoje (e amanhã) um conjunto de iniciativas que preconizam a divulgação da região de Leiria. Uma exposição a cargo das regiões de turismo, uma sessão cultural com a orquestra juvenil da Nazaré (Valado dos Frades), uma mostra de produtos regionais (fruta, vinho, queijo, morcela de arroz, cavacas das Caldas, etc) e duas sessões gastronómicas da responsabilidades de restaurantes locais, conferiram ao evento um sucesso que foi para além das nossas melhores expectativas. Um agradecimento a todos os que colaboraram e, estou em crer, é uma iniciativa que merece continuidade a bem da nossa região e das nossas gentes.



João Paulo Pedrosa

terça-feira, abril 13, 2010

Rotary Clube da Marinha Grande

A pedido de ilustres membros desta prestigiada instituição marinhense preparei uma reunião com o Secretário de Estado da Saúde, Dr Manuel Pizarro. O objectivo foi sensibilizá-lo para a cedência de um espaço para a criação da sede do Rotary. A receptividade foi muito boa e a concretizar-se este objectivo, ganha o concelho e todos aqueles que na Marinha Grande têm beneficiado do apoio solidário da comunidade rotária.



João Paulo Pedrosa

Lembranças

Na quinta-feira passada, depois do almoço, a caminho do edifício novo da assembleia, dou de caras com Jaime Gama e José Sócrates que tinham acabado de almoçar ali mesmo em frente. Estivemos um pouco à conversa, Gama relembrando o tempo em que fui um dos seus (poucos) apoiantes e Sócrates a relatar entusiasmado a visita recente a Leiria para inaugurar a Loja para a Internacionalização.
Esta foto e a situação em si relembrou-me, fugazmente, uma característica muito própria dos portugueses emigrantes, a apropriação do espaço circundante ao local de chegada.

Por esta Europa fora, se repararem, muitos portugueses estão fixados junto aos grandes terminais de transporte. Em Bruxelas, por exemplo, a comunidade portuguesa está instalada junto à gare ferroviária do Midi, chegaram de comboio e instalaram-se nas imediações. No Parlamento, é curioso, há muitos deputados a viver nas suas imediações e as sociabilidades também se inserem muito à volta daquele espaço (cafés, restaurantes, bares, etc). Será que esta territorialização do espaço urbano é apenas uma característica portuguesa? Será que há deputados a viver à volta de Westminster?



João Paulo Pedrosa

segunda-feira, abril 12, 2010

Democracia

é isto mesmo que a Junta de Freguesia dos Pousos tem vindo a fazer para defesa dos interesses da sua população. Na semana passada, um conjunto de personalidades de Leiria, incluíndo o presidente da câmara, da junta de freguesia e o padre, estiveram no Parlamento para entregar a Jaime Gama uma petição em favor da construção de um túnel no IC36 que atravessa a freguesia dos Pousos. Independentemente do vencimento da causa é uma atitude muito meritória que merece o aplauso e o empenhamento de todos, da minha parte tenho-me empenhado nesso objectivo.


João Paulo Pedrosa

quinta-feira, abril 08, 2010

You'll never walk alone!

David Luiz, Javi Garcia, Di Maria e Cardozo