sexta-feira, janeiro 30, 2009

Uma campanha vergonhosa

O caso Dreyfus, revisitado, pode ler aqui


João Paulo Pedrosa

quinta-feira, janeiro 29, 2009

Ler os outros

Vital Moreira, no Causa Nossa
Rui Namorado, no Grande Zoo
Miguel Abrantes, no Câmara Corporativa
O Jumento
João Pinto e Castro, no Blogo Existo
Eduardo Pitta, Da Literatura





Osvaldo Castro

Comunicado da PGR (integral)

NOTA PARA A COMUNICAÇÃO SOCIAL

A Procuradoria-Geral da República/Departamento Central de Investigação e Acção Penal, face ao alarme social causado pelas notícias vindas a público e relativas ao chamado “Caso Freeport”, ao abrigo do disposto no artigo 86º n.º 13, alínea b), do Código de Processo Penal, esclarece o seguinte:

O processo relativo ao “Caso Freeport” encontra-se a ser investigado pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal desde Setembro de 2008, estando neste momento a ser efectuadas perícias pelo Departamento competente da Polícia Judiciária sobre diversos fluxos bancários e a serem realizadas diligências várias, consideradas essenciais para a descoberta da verdade, pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal.

Tais diligências foram consideradas prioritárias e a elas serão afectados todos os meios considerados necessários.

Serão seguidas quaisquer pistas consideradas com interesse, analisados todos os fluxos bancários e inquiridas todas as pessoas ligadas ao caso, realizando-se as diligências tidas como necessárias para a descoberta da verdade.

Não foram recolhidos até este momento indícios que permitam levar à constituição de arguido de quem quer que seja.

Logo que a Lei Portuguesa o consinta será dado conhecimento público das diligências efectuadas, desde que o processo se iniciou em 2004, com uma carta anónima recebida na Polícia Judiciária de Setúbal.

A carta rogatória inglesa agora divulgada pela Comunicação Social, foi recebida no Departamento Central de Investigação e Acção Penal em 19 de Janeiro do corrente ano e irá ser cumprida, de acordo com a Convenção sobre a Cooperação Internacional em Matéria Penal, como tem acontecido durante a investigação.

Os alegados factos que a Polícia inglesa utiliza para colocar sob investigação cidadãos portugueses são aqueles que lhe foram transmitidos em 2005 com base numa denúncia anónima, numa fase embrionária da investigação, contendo hipóteses que até hoje não foi possível confirmar, pelo que não há suspeitas fundadas.

A carta rogatória inglesa não contém nenhum facto juridicamente relevante que acresça aos factos conhecidos e investigados pelas autoridades portuguesas, nem contém nenhum elemento probatório considerado válido e que justifique uma alteração da posição tomada nos comunicados anteriores.

Ninguém está acima da lei, mas nenhum cidadão português pode ser considerado arguido, nem sequer suspeito, unicamente porque a polícia de outro país o coloca sob investigação com base em hipóteses levantadas e não confirmadas e que servem somente para justificar um pedido de colaboração.

Lisboa, 29 de Janeiro de 2009
O Gabinete de Imprensa
Ana Lima
OC

Última Hora...PGR esclarece!

PGR diz que a carta rogatória inglesa não contém nenhum facto juridicamente relevante
A Procuradoria-Geral da República esclareceu hoje que a carta rogatória inglesa que recebeu a 19 de Janeiro "não contém nenhum facto juridicamente relevante" para a investigação do caso Freeport, reiterando que não há arguidos ou suspeitos no processo. (SIC)

Osvaldo Castro

quarta-feira, janeiro 28, 2009

Freitas do Amaral falou à SIC sobre Freeport...






OC

Prof. Freitas do Amaral garante que não houve ilegalidades administrativas...







OC

terça-feira, janeiro 27, 2009

Mais um presidente de Câmara em ruptura com o PCP...


" Sines, Setúbal, 27 Jan (Lusa) -
O presidente da Câmara Municipal de Sines, Manuel Coelho, eleito pela CDU, anunciou hoje a sua desvinculação do PCP, alegando "recriminações e acusações" do partido relativamente a decisões tomadas enquanto autarca. "Tomei a decisão de me desvincular do PCP, no qual militava há mais de 35 anos", revelou hoje o autarca em conferência de imprensa, realizada no município.
Manuel Coelho, que está a cumprir o terceiro mandato à frente da câmara de Sines, disse ter comunicado pessoalmente, no sábado passado, a "três elementos dirigentes" do PCP, a sua decisão de se desvincular do partido. "Esta decisão foi transmitida pessoalmente, sábado, após uma discussão semelhante a outras [ocorridas anteriormente] e que levou, inevitavelmente, a esta decisão", afirmou. O autarca alega que, em reuniões partidárias, era alvo de "recriminações" e "acusações", as quais considera "absurdas, idiotas, insuportáveis e não mais toleráveis". Como exemplo, Manuel Coelho disse ter sido questionado sobre os motivos pelos quais tem comparecido nos "actos de cerimónia do senhor primeiro-ministro" ou sobre "o que disse, ou quis dizer, em entrevistas sobre o interesse dos investimentos em Sines". "Porquê o convite ao presidente da República para os actos inaugurais do Castelo ou porquê admitir determinados quadros superiores da câmara" foram outras das questões que, disse, têm sido suscitadas dentro do partido "ao longo dos últimos três anos", à sua gestão.
Estes factos, acrescentou, levaram-no a "uma análise dos fundamentos ideológicos, da estrutura, dos programas e das práticas políticas do PCP", com uma conclusão que motivou a desvinculação.
"Concluo que este partido está impregnado de um conjunto de características típicas de organizações dogmáticas, com disciplina de caserna, que o tornam uma organização estalinizada, com práticas reaccionárias, envolvidas de um discurso pretensamente progressista, mas, de facto, retrógrado", acusou. O autarca ironizou, afirmando ainda ter esperado, "pacientemente", por uma "renovação" no partido, mas, entretanto, ter deixado de "acreditar em milagres". "Um partido progressista não se pode confundir com uma organização tipo igreja, carregado de dogmas e de interdições, nem como um exército, com disciplina de caserna com objectivos de orientação dogmática", criticou, aludindo também à "ameaça constante de sanções" dentro do PCP. Na conferência de imprensa, o autarca justificou ainda o seu abandono do PCP por ter chegado a um ponto de "saturação excessiva" pelas "práticas de cerco e de obstrução" do partido.
Manuel Coelho garantiu que, não obstante a sua desvinculação partidária, vai continuar à frente da Câmara Municipal até ao final do mandato, mas escusou-se a revelar se, nas eleições autárquicas deste ano, irá voltar a candidatar-se ao município.
O encontro com os jornalistas serviu ainda para o autarca anunciar que, com efeitos a partir de hoje, retirou os pelouros atribuídos ao vice-presidente Albino Roque, um dos quatro vereadores da CDU. O bom funcionamento da câmara depende do "trabalho de equipa, lealdade e capacidade para distinguir interesses partidários e locais", afirmou Manuel Coelho, dando a entender que Albino Roque, que tinha a seu cargo vários serviços da Divisão de Gestão Financeira e o serviço de empreitadas, da Divisão de Obras Municipais, não terá seguido estas orientações.
O próprio presidente vai agora encarregar-se do serviço de empreitadas, passando a tutela dos restantes pelouros que estavam sob responsabilidade de Albino Roque para a vereadora Cármen Francisco, enquanto Marisa Santos é a nova vice-presidente.
O médico Manuel Coelho, que começou a colaborar com o PCP em 1972, foi eleito presidente do município de Sines, pela primeira vez, em 1997, tendo sido reeleito em 2001 e 2005.
AYN/RRL. Lusa "
OC

segunda-feira, janeiro 26, 2009

Para os inquietos com a celeridade no Freeport...

Há quem faça do licenciamento do Freeport, (à terceira, diga-se) em escassos dias,o nó górdio da questão... Bom, nem os dias são assim tão escassos nem a situação parece ser assim tão incomum. Para mais esclarecimentos ler Eduardo Pitta no Literatura.







Osvaldo Castro

"À falta de melhor uma verdadeira convergência ideológica...

De facto, não havendo caso, o melhor é optar pelas alusões e insinuações.


Como se diz no País Relativo, Ainda vamos assistir a uma verdadeira Convergência Ideológica.

E se dúvidas restarem, vale a pena ler as recentes declarações dos inefáveis Louçã, Pacheco Pereira e VLXavier, todas compagináveis com esta pérola de um jovem ortodoxo, candidato da CDU à Câmara de Lisboa e figura de proa no 5 Dias que dá pelo nome de arquitecto Tiago Mota Saraiva.



Osvaldo Castro

domingo, janeiro 25, 2009

Afinal, o promotor imobiliário do Freeport nunca falou com Sócrates...!

A RTP acaba de passar imagens e declarações de Charles Smith, em que este sublinha nunca ter falado com Sócrates... insinuação que aparecia em vários órgãos de comunicação, designadamente a propósito da sua eventual participação numa reunião no Ministério presidida pelo então ministro do Ambiente, José Sócrates.

Para acompanhar algumas opiniões sobre o assunto ler a recolha que a Câmara Corporativa oferece aqui.





OC

sábado, janeiro 24, 2009

Contra os assassinatos de carácter...! (2)

Antes que se cometam erros, como aqueles que ocorreram no processo Casa Pia, é bom que a comunicação social não se deixe tentar pela teoria do "julgamento popular"...
Deixem funcionar a justiça, mesmo que atrasadamente, e especialmente, neste, como em demais casos, não insinuem nem concluam sem ouvir e dar todos os direitos de defesa aos cidadãos, mesmo quando sejam políticos ou membros de anteriores ou actuais governos.
Para ver uma posição lúcida, ler Vital Moreira no "Causa Nossa" e António Dornelas no "Canhoto" .






Osvaldo Castro

Contra os assassinatos de carácter...!

Osvaldo Castro

quarta-feira, janeiro 21, 2009

“As coisas ainda vão ser piores, antes de serem melhores”...

....Verdade se diga que Obama constituiu uma equipa de governo que corresponde às necessidades e ao pragmatismo que se exige a um tempo de grande complexidade no plano económico-financeiro e de incomensurável delicadeza no caldeirão internacional legado pelos “neoconservadores” de Bush.
Por isso me parece ser de reconhecer que o discurso de Obama baixou a fasquia dos que nele só viam o carácter messiânico e teve a coragem de pronunciar palavras prudentes e realistas, não caindo no logro de se deixar encurralar por todos os que, um pouco por todo o mundo, querem apostar e provocar a derrota de um presidente americano que, por sinal, até é negro.
Creio que tais incautos se enganam…quem acompanhou a campanha para as presidenciais americanas ou quem leu algumas das obras de Obama, especialmente “A Audácia da Esperança”, bem pode concluir que estamos perante um presidente com elevado sentido ético e sólida formação jurídico-constitucional, estribado num pendor ideológico liberal, no sentido de estar radicado em princípios democráticos, tal como se entende no Ocidente....

....Que não restem dúvidas, Obama, como sempre anunciou, vai devolver os Estados Unidos ao caminho do respeito dos direitos humanos, ao caminho do respeito democrático pelas demais nações e à resolução diplomática dos conflitos internacionais. É aí que se insere o encerramento de Guantánamo ou a retirada do Iraque, mesmo que sem conceder perante os desafios do Irão ou do Afeganistão.

E, sobretudo, Obama sabe que tem os olhos do mundo postos nele, perscrutando se é capaz de recuperar a economia americana da profunda recessão em que a herdou e escrutinando se consegue retirar do lodaçal a confiança de empresários e consumidores americanos, invertendo a situação económica de modo a poder conferir um novo impulso às depauperadas economias mundiais…
(excertos da Crónica que será publicada no Jornal de Leiria, em 22 de Janeiro de 2009)
Osvaldo Castro

segunda-feira, janeiro 19, 2009

Parabéns ao Povo Americano...



O 44º presidente dos Estados Unidos da América toma posse, daqui a algumas horas, perante o Povo Americano que legitimou, claramente, Barack Obama nas urnas.
Num momento particularmente difícil para os EE.UU e para o mundo, a generalidade dos cidadãos, em todos os cantos do globo, tem os olhos postos em Obama.
Creio que não será arriscado prever que, no seu discurso de posse, o novo Presidente recordará a accão de Lincoln, que aboliu a escravatura, de Roosevelt, que relançou a América após a Grande Depressão de 1929 e seguramente de Kennedy, que foi sempre uma das suas grandes referências ideológicas...e claro, não olvidará Martin Luther King e as palavras do "I have a Dream" que o lider negro proferiu na mesma Washington, que agora recebe o primeiro presidente negro dos USA.
Obama vai precisar de tempo e prudência para enfrentar e controlar a crise económica e para acertar os melhores passos diplomáticos perante a conturbada situação internacional.
Good Luck, Mr President!






Osvaldo Castro



A Drª Manuela vai-se enterrando...

A candidata a 1ª ministra acusou, ontem, o actual primeiro ministro de ser "o coveiro da Pátria"...

Trata-se de linguagem mal cheirosa e inapropriada a quem se quer reclamar da democracia... Antes parece o gargantear dos pequenos grupos da ultra-direita...

Basta de gaffes...Rectracte-se, Cara Drª Ferreira Leite!!!











Osvaldo Castro

domingo, janeiro 18, 2009

A Ler os Outros...

Câmara Corporativa- Isto está bonito, está...
Canhoto-Um pé dentro e outro fora
Causa Nossa- Desperdiçar dinheiro








OC

sexta-feira, janeiro 16, 2009

O cão de Pavlov

As primeiras experiências com cães eram simples. Segurava um pedaço de pão e mostrava-se ao cão antes de dá-lo para comer. Com o tempo o cão passou a salivar assim que via o pedaço de pão. A salivação era uma resposta quando a comida fosse colocada na sua boca, era uma reacção natural de reflexo do sistema digestivo do animal e não envolvia aprendizagem. Pavlov designou esse reflexo de reflexo inato ou não condicionado.

Pavlov provou, por meio desta experiência, que os cães desenvolvem comportamentos em resposta a estímulos ambientais, podendo tais comportamentos serem explicados sem que se precise entender o que se passa no plano mental ou psicológico. Essas conclusões forneceram material para afirmar que o ser humano aprende essencialmente através da imitação, observação e reprodução dos comportamentos dos outros.

Cada vez que escrevo um artigo no Jornal da Marinha lembro-me sempre desta experiência científica antiga. Diga eu o que disser, tenho o "reflexo condicionado" do propagandista local da moribunda coligação PCP/PSD. Bem sei que os assuntos que apresento doem, ferem, atingem o alvo e, justamente, põem a nu as fragilidades da governação camarária e desmontam a propaganda que despudoradamente se vai criando.
No seu estilo mal criado (é um hábito) o propagandista faz umas contas para dizer que a proposta de redução de impostos (designadamente o IRS) não tem efeitos no rendimento das famílias, refere que se tratam de ganhos insignificantes (diz que são 3 euros e 5 centímos, sempre rigoroso, como o conta quilómetros do seu caro).
Ora, não me levem a mal mas eu confio mais nas contas que o ROC João Cruz fez a este propósito e, em próximo artigo, conto dar testemunho disso, deixando à apreciação dos cidadãos a validade das propostas.
Diz também o propagandista que eu não tenho credibilidade porque as câmaras do PS do distrito de Leiria não aprovaram redução de impostos. Convém esclarecer que as propostas aprovadas no congresso distrital do PS são para a próxima legislatura autárquica e que foram aprovadas por todos os presidentes de concelhias do PS no distrito de Leiria, se, porventura, algum deles não as adoptar no seu concelho (estão no seu direito) não é à direcção do PS distrital, como é óbvio, que deve ser assacada essa responsabilidade.
Por fim, o propagandista diz que reduzir impostos na Marinha Grande significa retirar receita à câmara para obras em equipamentos e infra-estruturas. Mas, caros leitores, em quatro anos de gestão PCP/PSD já viram alguma obra? já deram, por acaso, com algum investimento que esta muribunda coligação tivesse realizado?
Saneamento básico nem um centímo, escolas, nada, equipamentos públicos (piscina, cine-teatro, casa da criança, centro comunitário para a 3ª idade) nada, estradas, uma desgraça, zonas industriais para atrair empresas, um marasmo total.
Se a redução de impostos para, repito, aliviar o orçamento das famílias em tempo de crise se justifica, com a gestão PCP/PSD justifica-se ainda mais, pois se não fazem obras, devem prescindir da receita.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Obama fala de Fé, com espírito aberto...Muito oportuno nos dias que passam








OC

Sócrates anuncia reforço da rede de cuidados continuados de saúde e mais 250 médicos...


Lisboa, 14 Jan (Lusa) -
O primeiro-ministro anunciou hoje a antecipação em um ano, para 2009, da meta de ter 8200 camas na rede de cuidados continuados e o reforço de 250 novos médicos especialistas em medicina geral e familiar.
As medidas de José Sócrates foram transmitidas no seu discurso inicial do debate quinzenal, na Assembleia da República, dedicado ao tema da saúde. Segundo o primeiro-ministro, na área dos cuidados de saúde para idosos e pessoas em situação de dependência, o Governo decidiu antecipar para 2009 o objectivo que tinha para 2010, o que, na sua perspectiva permitirá criar mais "três mil novos empregos nas áreas da enfermagem, fisioterapia e apoio social". Desta forma, em 2009, será atingida a meta de haver "8200 camas na rede de cuidados continuados" - medida que disse representar "uma investimento de 100 milhões de euros".
Na primeira fase da aplicação deste programa, o Governo decidiu "aprovar todas as candidaturas tecnicamente válidas que foram apresentadas ao concurso já aberto". "Os respectivos contratos serão assinados na quinta-feira: representam mais 3138 camas, sendo o financiamento público de 65 milhões de euros", apontou.
Na segunda fase da aplicação desta medida, que Sócrates disse que se iniciará "logo de seguida", será publicado "o aviso de abertura de novas candidaturas para um apoio público de 35 milhões de euros, o que acrescentará mais 1500 camas à rede de cuidados continuados". Falando nas consequências desta medida, Sócrates defendeu que haverá "mais idosos e dependentes apoiados, com melhores cuidados de saúde". "As instituições de solidariedade e as misericórdias serão mais apoiadas pelo Estado na sua acção social", sustentou, antes de também advogar que este investimento criará "mais três mil novos empregos nas áreas da enfermagem, fisioterapia e apoio social".
Outra medida anunciada por José Sócrates no debate incidiu sobre o reforço dos cuidados primários de saúde, através da contratação de mais 250 novos médicos em medicina geral e familiar. "Também este ano iniciarão a sua formação nesta especialidade 281 novos internos. Quer o número de especialistas, quer o número de internos são os maiores dos últimos 25 anos", sustentou.

PMF. Lusa

sábado, janeiro 10, 2009

No melhor pano cai a nódoa...!

Os semanários Jornal de Leiria e Jornal da Marinha, aos quais me ligam longas relações de colaboração, publicaram na passada 5ª feira notícias alusivas a um Estudo, de 2004, produzido pelo Observatório para o Desenvolvimento Económico e Social da Universidade da Beira Interior, e publicado em Janeiro do transacto ano de 2008. E titulam-no, respectivamente: "Marinha Grande tem a melhor qualidade de vida do distrito" e "Marinha Grande em 16º lugar"( no cômputo nacional, obviamente).

É certo que o semanário marinhense refere que o estudo é de 2004, mas admite que se trata de um novo estudo, ao considerar que a Marinha Grande,"pelo segundo ano consecutivo (ocupa) a 16ª posição..."

Por sua vez o "Jornal de Leiria" transcreve declarações do presidente da Câmara, como se de um novo estudo se tratasse, ao que este despudoramente responde, bem sabendo que o estudo se refere aos anos de 2004 e precedentes,por sinal de gestão socialista...Repetindo um teor de resposta que já dera no ano passado quando o Jornal de Leiria deu a notícia que, agora retoma, como se de facto novo se tratasse...

Ambos os jornais, creio eu, devem ter sido objecto de alguma newsletter comercial que os induziu a publicar uma notícia que tem, pelo menos, um ano...

Que me recorde, apareceu primeiro, no Diário Digital, de 29 de Janeiro de 2008 e depois noutros órgãos de comunicação.

E quem tiver dúvidas faça a fineza de ler o que sobre o assunto publiquei aqui, no Praça Stephens, em 5 de Fevereiro de 2008...

Lapso, propaganda,falta de atenção...? A verdade é que há quem se aproveite desses lapsos...

O referido presidente da Câmara da Marinha Grande, que só é presidente há 2 anos, terminou a sua intervenção de abertura na última Assembleia Municipal, congratulando-se com a "renovação" do honroso 16º lugar no plano nacional,...como se tivesse tido qualquer contributo para essa honra...e fingindo esquecer que não houve qualquer outro estudo para além do já mencionado e concernente a 2004 e anos precedentes...

Claro, foi desmascarado... e não teve qualquer resposta nem pedido de desculpa, por se servir de eventuais lapsos jornalísticos... um caso falhado de início de campanha eleitoral...

Osvaldo Castro

quarta-feira, janeiro 07, 2009

Pois, eu também não dou o flanco...

Em matéria de acordos pré-eleitorais eu, tal como vários camaradas meus, subscrevemos a tese do Vital Moreira que se pode ler aqui. E não vale a pena tentar meter-nos em clubes de reivindicações...porque a nossa visão da política é um pouco mais elevada.

Osvaldo Castro

A inacção junto com incompetência dá o quê?

Tinha há pouco uma mensagem de voz no meu telemóvel, de um funcionário da câmara dizendo (mais ou menos) o seguinte:

"Sr vereador estou-lhe a ligar a pedido do sr presidente para lhe dizer que a próxima reunião de câmara passa para quinta-feira da próxima semana por falta de assuntos".

À parte a deselegância recorrente do sr dr Alberto Cascalho em não tratar os vereadores do PS com elevação, é uma personalidade muito importante para ligar e falar directamente aos vereadores, manda um funcionário, para mais, tenho a dizer que, nas eleições de 2005, de acordo com o método de Hondt, eu fui eleito primeiro do que este altivo senhor. Registe-se. Adiante.

À parte isso, esta é uma situação totalmente insólita! A câmara não tem assuntos? desde a última reunião, já lá vão quinze dias, não fizeram nada? E não há temas importantes para o concelho para debater? É a estupefacção geral, que me lembre é a primeira vez que uma reunião de câmara é adiada por falta de trabalho feito em prol da resolução dos problemas dos munícipes, quando nós sabemos, de facto, que as pendências se arrastam naquela câmara municipal por total incapacidade de decisão política.

De acordo com a Lei a câmara reúne todas as semanas, excepto, se por conveniência entenderem reunir de 15 em 15 dias. A conveniência é deles que de forma prepotente, graças à prestimosa coligação PCP/PSD, impõem tudo o que querem. No entanto o adiamento desta reunião é ilegal, desde a última reunião até à próxima passam (salvo erro) mais de 15 dias. Já sabem que contam com o meu protesto na acta da próxima reunião de câmara.



João Paulo Pedrosa

terça-feira, janeiro 06, 2009

Entrevista SIC: Sócrates pede maioria absoluta



O primeiro-ministro reconheceu que parte para a campanha eleitoral com o objectivo de renovar a maioria absoluta. "É o que é preciso para se fazer o que o país necessita" disse José Sócrates numa entrevista, a primeira do ano, em que desvalorizou as divergências com o Presidente da República (a propósito do Estatuto dos Açores) e defendeu a sua receita para enfrentar a crise, com particular ênfase no investimento público.

"Estou a pedir a maioria absoluta", disse Sócrates na conversa que durou cerca de uma hora
A "estabilidade política e as condições de governabilidade" são "essenciais" e "é esse o objectivo que perseguimos" admitiu o primeiro-ministro e secretário-geral do PS, afirmando, preto no branco: "Estou a pedir a maioria absoluta". José Sócrates falava aos jornalistas José Gomes Ferreira (SIC) e Ricardo Costa (Expresso) ao cabo de quase uma hora de tensa entrevista centrada, sobretudo, nas respostas do Governo à crise económica mundial.
O chefe do Governo anunciou que, durante a apresentação do Programa de Estabilidade e Crescimento, durante a próxima semana, o Executivo irá rever as previsões de desemprego e crescimento económico. Recusou-se, ainda assim, a alinhar desde já pelas previsões do Banco de Portugal segundo as quais estamos à beira da recessão, admitindo, ainda assim, que "tudo aponta" para que esse cenário se confirme.
Na conversa que durou cerca de uma hora, Sócrates defendeu a estratégia do Governo para enfrentar a crise, sublinhando a dimensão "moral" do investimento público: "é absolutamente indispensável ao emprego", afirmou. "Se antes fazia sentido, agora faz ainda mais sentido: a economia precisa cada vez mais de investimento público. Seria moralmente muito negativo não o fazer". O essencial da entrevista girou, com efeito, à volta da economia e das respostas do Executivo para fazer face à crise, com o primeiro-ministro a resumir a quatro as principais orientações da sua política:estabilizar o sistema financeiro; apoiar as empresas; reforçar o investimento público e apoiar as famílias. Para trás ficava o tema dos primeiros dez minutos da entrevista: o conflito institucional com o Presidente da República a propósito do Estatuto Político-Administrativo dos Açores.Uma questão desvalorizada pelo primeiro-ministro, que a 'reduziu' a uma diferença de interpretação da Constituição - que, no seu entender, poderia ter sido facilmente resolvida com a intervenção do Tribunal Constitucional. Sócrates recordou, aliás, anteriores divergências com Cavaco Silva (a propósito do aborto, da paridade ou do divórcio) para garantir aos portugueses que tanto ele como o Presidente têm bem "consciência da importância de um bom entendimento institucional". A avaliação dos professores, tema obrigatório, acabou por ser abordada já na recta final da conversa, com o primeiro-ministro a aproveitar a deixa para colocar o acento tónico no facto de, pela primeira vez em 30 anos, os professores irem ser avaliados. Manuel Alegre e a possibilidade de surgimento de um novo partido à esquerda foi questão deixada para o fim, com Sócrates a refugiar-se no seu papel como secretário-geral do PS - a que é de novo candidato no Congresso de final de Fevereiro - para garantir que tudo fará para "promover a unidade do partido nessa diversidade que enriquece o PS". O 'tudo' inclui, segundo disse, convidar Manuel Alegre de novo para integrar as listas de candidatos socialistas, "se ele quiser". Mesmo a terminar, e em resposta a um cenário colocado pelos jornalistas, Sócrates manifestou-se disponível para que as legislativas possam ocorrer no mesmo dia do que as europeias (em Junho): "Já aconteceu", lembrou. Irredutível só mesmo na possibilidade de fazer coincidir legislativas com autárquicas: "São dinâmicas distintas. Acho um erro".
Cristina Figueiredo
22:32 Segunda-feira, 5 de Jan de 2009
EXPRESSO ON LINE
OC

segunda-feira, janeiro 05, 2009

Faixa de Gaza....

Ler Ana Gomes no Causa Nossa e Eduardo Maia Costa no Sine Die.






OC

domingo, janeiro 04, 2009

António Costa coordena Moção de recandidatura de Sócrates à liderança

Lisboa, 04 Jan (Lusa)

"O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, vai coordenar a moção de José Sócrates ao próximo congresso do PS, liderando uma equipa que se define como "força de unidade" na "esquerda democrática" e "preparada para governar".
Segundo fonte da direcção do PS, a moção de estratégia do secretário-geral socialista, José Sócrates, para o próximo congresso do partido - que se realizará entre 27 de Fevereiro e 01 de Março, em Espinho -, integra 11 elementos.
Coordenada por António Costa, fazem parte da equipa de redacção da moção de José Sócrates cinco dirigentes que em 2004 apoiaram a candidatura de Manuel Alegre à liderança do PS: o líder parlamentar, Alberto Martins; o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva; o secretário de Estado da Presidência, Jorge Lacão; e os deputados socialistas Osvaldo Castro e Vera Jardim.
Nos 11 elementos da equipa de José Sócrates estão também dois dos nomes do chamado "núcleo duro" da direcção socialista liderada por Ferro Rodrigues entre 2002 e 2004: o actual ministro do Trabalho e da Solidariedade, Vieira da Silva, e o ex-dirigente Pedro Adão e Silva.
Na equipa que redigirá a segunda moção de recandidatura de Sócrates à liderança do PS estão igualmente dois dos dirigentes de maior confiança do grupo político de José Sócrates: o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira (considerado o seu braço direito no Governo); e a eurodeputada socialista Edite Estrela.
Como novidade na equipa da moção de Sócrates surge ainda o nome da sindicalista (e especialista em questões europeias) Helena André.
De acordo com fonte oficial da direcção do PS, todos os 11 nomes que integram a moção do líder foram nos últimos dias alvo de contacto pessoal por parte de José Sócrates "e todos aceitaram logo o convite".
Em termos de linha política, a equipa que redigirá a moção de José Sócrates - e que começará a trabalhar já esta semana -, pretende apresentar o PS como "uma força política estável e preparada para voltar a Governar Portugal".
Por outro lado, ao abranger na equipa coordenada por António Costa vários elementos que antes apoiaram Manuel Alegre ou pertenceram ao "núcleo duro" de Ferro Rodrigues, a moção de José Sócrates pretende também assumir-se "como uma força unificadora" do partido e do "projecto político da esquerda democrática" no país.
"Esta moção tem como um dos principais objectivos cimentar o PS como a força portadora de um projecto da esquerda democrática em Portugal", frisou à agência Lusa fonte dos socialistas.
As eleições directas para a escolha do secretário-geral do PS e para a eleição de delegados ao congresso estão marcadas para os dias 13 e 14 de Fevereiro. José Sócrates submeter-se-á pela terceira vez ao voto dos militantes socialistas, depois de em 2004 ter derrotado Manuel Alegre e João Soares na corrida à liderança e de em 2006 ter vencido sem qualquer oposição."
PMF. Lusa
OC

Governo português Apela ao Cessar-fogo !

Militares israelitas envolvidos na operação terrestre contra Gaza

Com o intensificar dos combates entre os efectivos terrestres do exército israelita e militantes do Hamas dentro da cidade de Gaza, o Governo português lançou um apelo para o fim das hostilidades. Num comunicado divulgado esta tarde, o Ministério dos Negócios Estrangeiros alinhou pela posição da UE para defender um cessar-fogo em nome da situação humanitária e da "perda de inúmeras vidas humanas".


"Portugal apela uma vez mais à contenção de ambas as partes, considerando imperioso o estabelecimento de um cessar-fogo que ponha fim ao conflito e ao agravamento da situação humanitária", refere o comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros, que se mostra particularmente preocupado com o avanço da "campanha militar terrestre iniciada (este sábado) em Gaza". Um dia depois de Israel ter desencadeado a ofensiva terrestre contra Gaza, o Governo de Lisboa reitera ainda total apoio "às iniciativas diplomáticas em curso que visam interromper o presente ciclo de violência". Paris lidera críticas ocidentais contra Telavive Com os pedidos de um cessar-fogo a ecoarem por todo planeta, é de Paris que parte a posição mais dura do Mundo Ocidental. Ao mesmo tempo que condenou a continuação do lançamento de foguetes" palestinianos, o Governo de Nicolas Sarkozy "condenou a ofensiva terrestre israelita", já depois de a União Europeia ter considerado que Telavive não tem o direito de empreender acções militares que "afectem civis em larga escala". Nesse sentido, o Presidente Sarkozy deverá iniciar esta segunda-feira uma viagem ao Médio Oriente, onde manterá contactos para procurar uma solução para o presente conflito israelo-palestiniano. "Esta escalada militar perigosa complica os esforços empreendidos pela comunidade internacional, em particular "a União Europeia e a França, os membros do Quarteto (Estados Unidos, Rússia, Nações Unidas e União Europeia) e os Estados da região para pôr fim aos combates, prestar auxílio imediato aos civis e obter um cessar-fogo permanente", refere um comunicado do MNE francês. A Europa vai assim contra o posicionamento mantido pelos Estados Unidos, tradicional aliado de Israel, que barrou o Conselho de Segurança da ONU na votação de uma declaração proposta pela Líbia no sentido de um cessar-fogo imediato. Ao fim de quatro horas de discussão, o Conselho de Segurança não logrou um acordo relativamente ao texto líbio, que visava apelar a Israel e ao Hamas para que cessassem as operações militares. Já depois de Alejandro Wolf, embaixador norte-americano na ONU, ter lembrado que o Conselho foi incapaz na passada semana de levar o Hamas a corresponder ao apelo de fim imediato da violência, Washington pronunciou-se hoje favorável mas "a um cessar-fogo duradouro", o que vai ao encontro da ideia defendida pelos israelitas, que dizem querer limpar o Hamas de todos os seus arsenais antes de abandonarem as operações na Faixa de Gaza. Europa contra massacre de civis Fazendo o apelo a um cessar-fogo, a Presidência checa da UE sublinhou que "o direito inegável de um Estado de se defender não o autoriza a levar a cabo acções que afectem massivamente os civis". A declaração vem assim rectificar uma expressão atribuída ao primeiro-ministro checo, Mirek Topolanek, cujo porta-voz qualificava ontem de "defensiva" a operação terrestre israelita. Já hoje, Karel Schwarzenberg, ministro checo dos Negócios Estrangeiros, inicia uma viagem ao Médio Oriente a frente de uma missão europeia.

Paulo Alexandre Amaral, RTP,2009-01-04; 16:01:25
OC

Deus vos ajude!




João Paulo Pedrosa

sábado, janeiro 03, 2009

Artilharia Israelita já recomeçou a bombardear Gaza!



03.01.2009 - 15h03 Agências
A artilharia israelita já iniciou o bombardeamento na zona Este da Faixa de Gaza. O exército de Israel já tinha rodeado todo o perímetro de Gaza. Vários palestinianos testemunharam explosões na cidade, segundo a Reuters.Depois de uma semana em que o território controlado pelo Hamas sofreu raides continuadas da aviação israelita, que já matou pelo menos 433 palestinianos, teme-se que o exército de Israel invada Gaza. Segundo o Hamas, durante a madrugada de hoje houve uma tentativa de entrada que foi frustrada pelo braço armado do movimento islamista palestiniano. As entidades israelitas negam o facto.Se o bombardeamento terrestre continuar, o número de mortos pode aumentar significativamente.Esta manhã, o Hamas já tinha ameaçado que iria raptar soldados israelitas caso Israel iniciasse uma ofensiva terrestre. “Se eles [os Israelitas] entrarem [em Gaza], Gilad Shalit [soldado israelita capturado a 25 de Junho de 2006 pelo Hamas] terá novos amigos”, ouviu-se na mensagem emitida pela rádio do movimento islamista.(Publico on line)

Veículos militares israelitas invadem por terra a Faixa de Gaza

Uma coluna de veículos militares israelitas, apoiada por helicópteros, entrou este sábado na Faixa de Gaza, noticia a agência Reuters. De acordo com uma testemunha palestiniana, residente na cidade de Beit Lahiya - a norte de Gaza -, a coluna militar atravessou a vedação fronteiriça no final do dia, aproveitando a escuridão. (Expresso on line, actualizada às 18.05)

OC.

Concerto de Ano Novo, Viena (extracto)






Dirigido por Daniel Barenboim




OC

Pela Palestina...Pela Paz...Nessun Dorma... Pavarotti, Carreras,Domingo









Osvaldo Castro