domingo, outubro 29, 2006

Golos depois da hora


Margarida Goulart Pedrosa, sócia nº 160 227 desde ontem, portuguesa, só para a semana

quarta-feira, outubro 25, 2006

Ditosa Pátria - Comissionistas de Wall Street (6)

Pode ler aqui.


João Paulo Pedrosa

sexta-feira, outubro 20, 2006

Aonde é que vamos parar ?

Em Agosto, pela primeira vez, a coligação PCP/PSD na câmara municipal pediu a colaboração dos vereadores do PS para ajudar a resolver alguns problemas, neste caso o funcionamento da empresa de transportes urbanos. Vejam o que se passou a seguir através da carta que escrevi ao Presidente da Câmara:

Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande
Há mais de um mês, em reunião da câmara municipal, o vereador da coligação que governa os destinos do concelho eleito nas listas do PSD, Sr. Artur Oliveira, numa postura aparente e surpreendentemente humilde – contrariando, aliás, a forma arrogante e cheia de certezas com que trata todos os assuntos, apesar de até hoje ainda não ter resolvido nenhum – deu conta das sua incapacidade para gerir a TUMG, afirmando que a empresa dava prejuízos sucessivos e que por isso propunha a sua extinção. Não obstante, referiu também que aceitava todas as ajudas da câmara para melhorar a gestão e o funcionamento da empresa. No decorrer da discussão, os vereadores do PS disponibilizaram-se a dar o seu contributo na tentativa de encontrar uma solução que colocasse a empresa a funcionar bem, eliminando os constrangimentos e as dificuldades sentidas.
Em face disto, o Sr. Presidente da Câmara propôs que fosse criada uma comissão composta por um representante da cada partido político, a saber, eu próprio em representação do PS, o vereador João Alfredo em representação da CDU e o vereador Artur Oliveira em representação do PSD e presidente do conselho de administração da empresa.
Ingenuamente e de boa fé, pensei que as preocupações eram genuínas e que o Sr. Presidente da Câmara e o Sr. Vereador do PSD estavam mesmo interessados em encontrar uma solução e a resolver os problemas existentes, mas o tempo foi passando e nunca mais se ouviu falar da comissão ou os seus membros ouvidos para o que quer que fosse. Passaram 15 dias, passou um mês e nada mais aconteceu!
Por via disso, tencionava apresentar a minha demissão desta comissão na próxima reunião de câmara porque afinal, de boa fé, tinha sido enganado pelo Presidente da Câmara.
Entretanto, na passada terça-feira, fui contactado pelo Vereador João Alfredo perguntando-me quando estaria disponível para fazer a reunião da tal dita comissão, eleita na câmara municipal, para resolver os problemas da TUMG. Respondi-lhe que há tanto tempo que estava à espera dessa reunião que, por mim, podia ser já hoje. Ficou então a reunião marcada para o dia seguinte (ontem) às 16 horas nas instalações TUMG.
À hora marcada estava lá eu o vereador João Alfredo e o jurista da câmara Dr. Miguel Crespo para prestar esclarecimentos de ordem técnica se fosse caso disso. Eram 16.40 e como não estava ninguém da administração da TUMG, nem sequer o vereador do PSD, o vereador João Alfredo telefonou-lhe informando-o que nos encontrávamos ali à sua espera há quase uma hora. Ao que este respondeu “que não ia à reunião e que delegava a sua participação no Dr. Miguel Crespo e”, mais acrescentou, que “se precisássemos de algum esclarecimento dele que o chamássemos” (sic).
O Dr. Miguel Crespo apressou-se a dizer que não era representante do PSD mas funcionário da Câmara Municipal e eu recusei-me terminantemente a fazer qualquer reunião naquelas condições, porque os Vereadores que ali estavam foram mandatados pela câmara municipal e não eram criados do senhor Artur Oliveira.
Exmo. Sr. Presidente da Câmara
Quero, pois, aqui apresentar o meu mais veemente protesto e manifestar-lhe a minha mais profunda indignação por este comportamento inqualificável e pelo desrespeito que ele demonstra perante os Vereadores presentes, perante o Sr. Presidente da Câmara e perante a deliberação do órgão autárquico que a instituiu. Se esta atitude foi apenas gizada pelo próprio, como creio, deve merecer não só o nosso repúdio e censura pública, mas também a do Sr. Presidente da Câmara a quem acho que foi feita a desconsideração e o desrespeito maior.
O Sr. Vereador Artur Oliveira, como todos sabemos, não foi escolhido pelos marinhenses para governar o que quer que seja na câmara municipal da Marinha Grande, antes pelo contrário, foi até claramente penalizado já que o seu partido (PSD) teve os piores resultados eleitorais no concelho desde que há eleições livres em Portugal. Sendo a opção que lhe permite gerir tantos e tão importantes pelouros apenas uma opção política consciente e determinada do presidente da câmara, ao arrepio, claro está, dos resultados eleitorais e da vontade da população do concelho. Já opção de lhe permitir ofender e desrespeitar o Presidente da Câmara, os restantes Vereadores e as deliberações da Câmara Municipal, ultrapassa qualquer acto ou decisão política para se colocar no cerne dos fundamentos da vida democrática e que não podem jamais passar em claro.
Sr. Presidente
De boa fé, e acedendo a um pedido de V. Ex.ª, decidimos integrar esta comissão, mas ficou claramente demonstrado que o Sr. Vereador Artur Oliveira não tinha nenhuma vontade em que a comissão existisse, funcionasse ou sequer que os problemas da TUMG pudessem vir a ser ultrapassados de forma a servir melhor os munícipes e o concelho. O Sr. Vereador Artur Oliveira tem apenas como objectivo destruir a empresa e, como tenho dito e como ele próprio admite, é totalmente incapaz de a gerir. Já leva um ano como presidente do conselho de administração e ainda não definiu nenhum objectivo, não delineou nenhuma estratégia, nem pôs em prática nenhum dos serviço que a empresa se propunha a prestar e cujos resultados financeiros favoráveis estavam devidamente explicitados no estudo de viabilidade económica que a constituiu. Face a todo este comportamento inqualificável e negligente de gestão de uma empresa pública municipal, o Sr. Presidente da Câmara não pode agora fechar os olhos e não assumir a co-responsabilidade em tudo o que de negativo nela se vier a passar.
A palavra agora é sua, Sr. Presidente da Câmara.
Marinha Grande, 12 de Outubro de 2006
O Vereador
João Paulo Pedrosa



quarta-feira, outubro 04, 2006

Ditosa Pátria - A direita mostra os dentes (5)

pode continuar a ler aqui


João Paulo Pedrosa