sexta-feira, setembro 30, 2005

Tanta gente...

São já cerca de 500 as inscrições para o jantar do PS de logo à noite. No pavilhão da colectividade de Casal Galego, pelas 20 horas, vamos encerrar o ciclo de jantares/comício desta campanha. Conseguimos já neste período eleitoral mobilizar o maior número de sempre para os nossos jantar/comício, nunca antes tínhamos tido tanta gente. É bom, é sinal que as pessoas estão empenhadas em ver concretizadas as propostas políticas do PS, tudo faremos para que assim seja.



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, setembro 29, 2005

8. Uma escola com cultura tecnológica


A Câmara Municipal da Marinha Grande vai promover a generalização, a todas as escolas do pré-escolar e do 1.º ciclo, do ensino do inglês, da educação musical e da educação para a ciência, assim como introduzir o projecto “Escolas Navegadoras”. Procura-se assim preencher a parte não lectiva do horário escolar e fomentar junto dos mais jovens uma cultura tecnológica que permita, no espaço de uma geração, a reprodução de saberes e especificidades industriais e empresariais que caracterizam a Marinha Grande.

Razões:
Este concelho tem uma das maiores taxas de empregabilidade feminina, logo, o problema de, "onde deixar os filhos" durante esse período exige que nos empenhemos em encontrar uma solução de ocupação pedagógica nas escolas. Este ano com o inglês, a natação e as aulas de ciência viva já conseguimos uma ocupação até às 17.30. A isto achamos importante juntar a educação musical, as salas de informática e a ligação ao tecido industrial local. No fundo, para assegurar, no espaço de uma geração, a reprodução dos recursos humanos com qualificação, o ensino na Marinha Grande não pode ser igual ao de Boticas.



João Paulo Pedrosa

Apontamentos de campanha

Neste últimos dias, em conjunto com muitos candidatos, percorremos dezenas de km, apresentando as nossas listas e ouvindo as pessoas. A receptividade não podia ser melhor, simpatia, educação, sugestões, chamadas de atenção, mas tudo com muita correcção e com respeito pelas funções que exercemos. As críticas são sobretudo para pequenos pormenores, o passeio que está danificado, o espaço verde à porta que não é cuidado...
Ainda há pouco, na Embra, na rua Gravadores de Vidro, uma senhora junta-se a nós e diz:
"- dê cá um beijinho que eu nunca tive um candidato a presidente de câmara na minha rua".



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, setembro 28, 2005

Tem a palavra o povo de Amarante,Felgueiras,Gondomar e Oeiras

É o título da minha crónica de amanhã no Jornal de Leiria...de facto,considero uma vergonha nacional que os candidatos dissidentes ou expulsos dos partidos a que pertenciam e que se apresentam ao sufrágio de presidente das respectivas Câmaras se tenham "travestido" de independentes. Entre outras aleivosias de mau carácter...E o pior é que as sondagens apontam-nos como vencedores...Será que os eleitores desses concelhos não têm o dever de lhes travar as ambições despudoradas?Espero que tal suceda,até porque no espírito do legislador constitucional e das normas que regem as candidaturas não estava inscrita a ideia de tamanhas trapaças.
Osvaldo Castro

O Reforço dos poderes das Assembleias Municipais

Em entrevista que concedi ao Jornal da Marinha Grande, e que será publicada na 5ª feira(amanhã),refiro-me,entre outros assuntos, ao novo papel e competências que devem ter os órgaos deliberativos,designadamente as Assembleias Municipais.Aí fica um pequeno excerto...
"Há muito que defendo o reforço dos mecanismos de acompanhamento e fiscalização por parte das AM e espero vê-lo consagrado em lei,no decurso do próximo ano,tendo em conta que,além de outros,existe na Assembleia da República,já aprovado na generalidade,sem votos contra,o Projecto de Lei nº27/X,oriundo do PS,que vai nesse sentido.
Para citar tão só alguns exemplos,adianto a valorização do papel dos "grupos municipais",consagrando-se um novo conjunto de competências que promovam a dinamização da vida parlamentar municipal,a instituição de uma composição alargada da Mesa da AM,garantindo a representação de todos os grupos municipais,a promoção e existência de comissões especializadas direccionadas para as áreas mais relevantes como economia,orçamento,planeamento urbanístico,educação,cultura e desporto,entre outras,de modo a potenciar e optimizar o trabalho de acompanhamento e fiscalização do Executivo..."


Osvaldo Castro

terça-feira, setembro 27, 2005

Apontamento de campanha

Hoje, no Pilado, uma senhora disse-me que ia votar no PS, sobretudo, porque acha que eu tenho ideias jovens e força para encarar os problemas do futuro, mas no fim remata assim, "não me desiluda...".


Fazer por merecer esta frase é simultaneamente um desafio e uma angustia.



João Paulo Pedrosa

Muitos independentes marcaram presença




João Paulo Pedrosa

Ter confiança no futuro e fazer a "Escolha Certa"...



Que grande manifestação de apoio decorreu na passada sexta feira, na Praia da Vieira.
Uma sala repleta de gente naquele que terá sido um dos maiores (senão mesmo o maior) jantar de apoio a candidaturas do Partido Socialista na Vieira de Leiria em que tive oportunidade de participar.
E não admira que assim tenha sido: é que a renovação é mesmo uma realidade nas listas do PS. Foi interessante ver um conjunto de pessoas juntar-se à candidatura do PS que, habitualmente, não aparecem nestas andanças.
É também esse um bom presságio que nos permite concluir que podemos ter verdadeira “Confiança no Futuro”.
Contudo, não vão ser favas contadas. É preciso olhar para estas manifestações de apoio como mais uma motivação para o trabalho que falta fazer e que apenas culminará com a vitória do dia 9 de Outubro que, estou certo, ocorrerá.
Precisamos acreditar nessa possibilidade e com o mesmo vigor e sentimento que a Deolinda Bernardo e o José Pires puseram nos temas que interpretaram no jantar (tal como já o tinham feito na Moita), participar nas actividades de campanha que estão programadas. Mas a principal campanha que podemos fazer, com esse mesmo vigor, é transmitir àqueles com quem diariamente contactamos o resultado da obra feita que conduziu à nova imagem de um concelho em progresso que queremos não ver travado por aqueles que mais não pretendem do que ajustar contas com o passado.
O jantar de sábado é a prova de que os Vieirenses têm “Confiança no Futuro” e irão contribuir para que o concelho, no seu todo, possa fazer a “Escolha Certa”…

Rui Rodrigues

domingo, setembro 25, 2005

Acontecimentos que envergonham a nossa democracia

Temos assistido nesta pré-campanha a acontecimentos que envergonham a nossa democracia. Aquele que deveria ser um tempo e um espaço de avaliação do trabalho feito e de discussão e debate dos diferentes projectos políticos a sufragar, é substituído (uma vez mais) pela má educação, pela arrogância, pela insinuação, pela calúnia e até como expediente (imoral) de branqueamento de atitudes e comportamentos que apenas à justiça compete avaliar.Mas estes comportamentos têm uma explicação: para quem não tem ideias, nem projectos, nem argumentos, vale tudo...Quem perde? Todos!
No site da CDU da M. Grande, nas suas "Notas de Campanha", somos brindados com um pequeno texto sob o título "Quem é que paga a campanha?", ilustrativo daquilo que não deve ser o combate político e que passo a transcrever:"As três freguesias da Marinha Grande estão inundadas de grandes e pequenos painéis da candidatura do PS. Facilmente se conclui que a candidatura PS sozinha tem na rua mais materiais de propaganda que o conjunto das restantes forças políticas. Em período de crise agravada pela governação do PS, onde se vai buscar tanto dinheiro para pagar toda a ostentação? Quem é que paga a campanha do PS?"Sem comentários!E é por tudo isto que tenho de saudar, enaltecer e louvar o comportamento do João Paulo nesta campanha, e muito particularmente no debate de ontem na rádio 94FM onde, de forma "quase obscenamente" educada, elevada e pedagógica reagiu às provocações caluniosas e de mau gosto proferidas pelo candidato da CDU.
A tudo isso o João Paulo contrapôs obra feita, ideias, projectos e medidas concretas que, em nome do PS e de muitos concidadãos independentes, defende para o Concelho.
Apenas um comentário final relativo ao referido debate. Ficámos a saber de viva voz que o candidadato da CDU não é político, nem a tempo inteiro nem a tempo parcial (embora já tenho sído convidado!...) - por mim poupo-lhe essa maçada. É que eu quero, como Pesidente da Câmara da minha terra, um político (a tempo inteiro) pois é essa a sua nobre função!
A sociedade muda-se com a mudança dos comportamentos individuais e nesse particular o João Paulo é um exemplo. Sejamos sérios e deixemos "a mulher de César" sossegada.



Filipe Gomes

sábado, setembro 24, 2005

A Emoção,a Alegria e a Combatividade dos Vieirenses!


Foi pena que o Restaurante não pudésse servir mais do que 400 pessoas e que alguns camaradas e amigos tivéssem de ficar de fora...Porque foi uma bela jornada política,a maior que alguma vez vi na Vieira!
A apresentação dos candidatos à freguesia deu bem a nota da presença das mulheres,dos jovens e dos independentes na candidatura do PS...e a apresentação do Paulo Vicente e do João Paulo Pedrosa foram dois momentos muito emocionantes. O povo da Vieira gosta muito deles,é um facto indiscutível que,provavelmente,muitos já sabiam,mas que, ali,naquele ambiente caloroso, fez com que as lágrimas assomassem aos rostos de velhos pescadores e de inúmeras peixeiras...
Agora,cumpram com o que lhes prometeram...nunca esquecer as raízes, mesmo que, a 9 de Outubro, o João Paulo seja o presidente da Câmara e o Paulo Vicente continue a liderar a Junta!
Que o povo da Vieira corresponda com votos à emoção que ambos despertaram com palavras certeiras,mesmo de tom intimista,mas de grande significado político e caldeadas pela responsabilidade que a adesão dos vieirenses,seguramente, vos quis atribuir.
Agora,caros camaradas e amigos,não obstante as boas perspectivas,as eleições só se ganham nas urnas!Trabalhar empenhadamente,sem triunfalismos ou arrogância, é o nosso dever,até ao veredicto de 9 de Outubro!





Osvaldo Castro

sexta-feira, setembro 23, 2005

Mais de 400 pessoas

(não pudemos aceitar mais inscrições) vão hoje à noite sentar-se no Hotel Cristal da Praia da Vieira para participar no maior jantar de campanha alguma vez organizado no concelho da Marinha Grande. É o jantar onde serão também apresentados os candidatos do PS para a assembleia de freguesia de Vieira de Leiria. Uma grande jornada no arranque desta campanha eleitoral.

Frente a frente

entre João Paulo Pedrosa, candidato pelo PS e João Barros Duarte candidato da CDU é amanhã na 94 de Leiria a partir das 10 horas.

Um registo pessoal

Há dois amigos, o Rogério da Costa Pereira e o Filipe Nunes Vicente, de quem gosto muito e escrevem em blogues, que foram tocados pelo espírito do génio. Seria uma grande honra poder contar com eles aqui. Rogério, Filipe (nem sequer sei se lês o blogue) peço-vos o favor de escreverem um post para este humilde blogue. A vossa inteligência e lucidez ajudam a fortalecer a democracia representativa, e ela anda tão frágil...



João Paulo Pedrosa

As referências ao nosso blogue (III)

O Jornal Expresso de sábado passado distingue-nos da candidatura do PCP, diz aquele prestigiado periódico que " na Marinha Grande, enquanto o PS fala de inovação a CDU fala em municipalizar serviços".



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, setembro 22, 2005

As referências ao nosso blogue (II)

Para quem segue causas públicas, uma citação de Ana Sá Lopes é uma grande honra. Presumo, agora, que é o tipo de satisfação que "as tias que gritam por falta de criadas" sentem quando vêm na Caras. Foi hoje, no jornal Público e aqui fica o nosso muito obrigado!



João Paulo Pedrosa

As referências ao nosso blogue (I)

O blogue Afixe, um dos mais lidos da blogosfera, com muita simpatia presenteou-nos com este post.


Osvaldo Castro

quarta-feira, setembro 21, 2005

7. Centros de convívio para idosos "Espaço Sénior"


A população mais idosa da Marinha Grande cresceu 44% no período de 1991 a 2001 (dados do INE), o que confere a extrema necessidade e a responsabilidade da Câmara da Marinha Grande para corresponder às necessidades específicas deste segmento da população.
Será, assim, criado um centro de convívio para idosos em todos os lugares do concelho, com vista a afastar a solidão urbana de uma geração que ainda tem muito a dar à sociedade. Estes centros de convívio pressupõem uma ligação à escola e a execução de um conjunto de actividades semanais, tais como: ginástica para a terceira idade, despistagem de problemas de saúde (tensão, diabetes, etc.), orientar os idosos a tratar com os seus sintomas de doença (socorrismo); lavores, artes, plásticas, culinária e animação e voluntariado social; tudo isto aproveitando as potencialidades técnicas das colectividades e de outras instituições do concelho, competindo à CMMG o equipamento e apetrechamento de todos os espaços.


Razões:
Hoje as sociedades estão muito viradas para a juventude, para modelos de sucesso, para uma cultura de família mais baseada no prazer do que na solidariedade. Por isso, não cuidam dos idosos, abandonam-os ou desprezam-nos. É necessário inverter essa tendência e este Espaço Sénior vai ser um objectivo fundamental do meu mandato.



João Paulo Pedrosa

terça-feira, setembro 20, 2005

O jantar da Moita






João Paulo Pedrosa

segunda-feira, setembro 19, 2005

Ainda dizem que os políticos é que gostam de promessas

Ontem, nas festas da Ordem, uma simpática senhora travou comigo o seguinte diálogo, "voto em si, mas tem que me prometer que vai asfaltar a rua do bairro S. João de Deus", "mas o bairro, bem bonito por sinal, fica melhor em calçada", tentei argumentar. "Promete ou não ?" insiste determinada, a saída que tive foi convidá-la para comer uma filhó.



João Paulo Pedrosa

O regresso do nosso "Praça Stephens"!

É o nosso habitual jornal de campanha...Desde 1993 que em todas as eleições autárquicas o temos publicado.
Foi um factor importante da vitória de 1993.Quase que tenho saudades das longas madrugadas que, conjuntamente com o, então, meu jovem estagiário Rui Rodrigues,dispendemos na sua elaboração e paginação.Ainda por cima,à época,os meios, sendo suficientes,não eram tão sofisticados tecnologicamente como hoje.O seu nascimento foi uma bela ideia a que associo os nomes do Telmo Ferraz,do Henrique Neto,do Álvaro Órfão,do Telmo Neto,da Fernanda Pinto e do Guilherme Correia que colaborou com o desenho do frontispício.
Em papel de jornal,como começou e agora retoma,creio poder dizer que faz parte do "simbólico"nas campanhas autárquicas do PS.
Quando hoje o tomei em mãos vi perpassarem-me nos olhos da memória todas as campanhas que o "Praça Sthephens"ajudou a vencer.Doze anos após,tendo em conta a obra que está feita ao serviço da causa pública,acho que se pode dizer:Valeu a pena!
Ele já está por aí a circular...Traz as fotos dos candidatos e,também,excelentes fotografias que comprovam que "a Marinha Grande está cada vez mais bonita" e que a obra se pode mostrar...
E depoimentos de figuras notáveis do concelho,além duma excelente entrevista de um marinhense que se pode orgulhar da obra que deixa,o Álvaro Órfão.E notícias,partes do Programa,enfim um jornal despretensioso que vale a pena ler e guardar.
Em tempos de "sites" e "Blogs"(já repararam que passámos as 16.000 visitas ?),a presença do já tradicional e indispensável "Praça Stephens"vai ser um êxito seguro!
Osvaldo de Castro

Uma excelente jornada

terminou há pouco no Sport Operário Marinhense, com o encerramento do fórum Nova Geração de Políticas Autárquicas. Numa sala a abarrotar de gente interessada, ouvimos primeiro as palavras do nosso mandatário Gabriel Roldão que, com a sua enorme experiência de vida, nos mobilizou e incentivou a prosseguir o rumo de debate e de reflexão sobre o presente e sobre o futuro da nossa terra. Seguiu-se depois um valioso painel de intervenções a cargo da jovem bióloga Joana Martins que nos deu a conhecer preocupações novas e prementes na vida quotidiana, da historiadora Isabel Ferreira, mulher de teatro e dirigente associativa, que nos falou da educação e da cultura, do economista João Cruz que nos trouxe uma proposta inovadora para a intervenção das autarquias no desenvolvimento económico e na criação de riqueza, o engenheiro do ambiente, Augusto Lopes que centrou, muito oportunamente, as preocupações ambientais numa esfera de cidadania, para além das políticas públicas e, por fim, a técnica de Serviço Social Ana Nobre que nos trouxe as preocupações mais urgentes no domínio da acção social. Foram, todas elas, excelentes comunicações de especialistas, jovens, da Marinha Grande. Com estas comunicações e com o debate que se seguiu, terminou o período de audição de inúmeras personalidades da terra para a construção do nosso programa eleitoral. Desde o mês de Maio que aqui no blogue e noutros espaços de intervenção que venho a apresentar o sentido político das nossas ideias e das nossas propostas. Tornámo-las mais fortes e mais seguras com o contributos de muitos, com as críticas e com as sugestões. Vamos apresentar um excelente programa, virado para as preocupações com o desenvolvimento económico e a criação de emprego, preocupação com as políticas sociais e de solidariedade e uma preocupação muito particular com as políticas de cidadania, quer isto dizer, por outras palavras, preocupações de participação de todos na construção do futuro colectivo, de mobilização para causas comuns, para a solidariedade com os mais desfavorecidos, mas também com uma administração amiga do cidadão, que facilite a vida no seu dia à dia, que o sirva condignamente e de forma atempada, sem demoras ou procedimentos inúteis. Em suma, uma política cuja principal preocupação são as pessoas. Eu acredito no alcance destes objectivos e tenho a certeza que somos capazes de os concretizar.



João Paulo Pedrosa

domingo, setembro 18, 2005

O Fórum Nova Geração de Políticas Autárquicas

realiza-se hoje, domingo, pelas 17.30 no Sport Operário Marinhense. Com este fórum termina assim um vasto e profícuo processo de audição, de sugestões e propostas com vista à elaboração do nosso programa eleitoral. Diversas personalidades da sociedade civil marinhense nas áreas do ambiente e qualidade de vida, da economia, da solidariedade social e da educação vão proferir um conjunto de intervenções a que se seguirá um período de debate. Como temos vindo a dizer há alguns meses o futuro passa por um conjunto de políticas autárquicas que apostem na valorização da economia local, dinamizando-a e promovendo-a, por uma forte aposta na qualidade de vida (acessibilidades, saneamento...) e por políticas socias de proximidade e de afirmação da cidadania. Será, portanto, em torno desta problemática que irá girar a nossa discussão de logo à tarde.


João Paulo Pedrosa

Praça Stephens

o nosso jornal de campanha sai hoje para a rua, com depoimentos de algumas personalidades da sociedade marinhense que apoiam a nossa candidatura e o nosso projecto político, a que não quis deixar de se associar o sr. dr. Alberto Costa (actual Ministro da Justiça e com fortes ligações à Marinha Grande) e o sr Primeiro-Ministro, Engº José Sócrates, o que muito nos honra.. Esta edição apresenta as fotos de todos os candidatos aos diversos órgãos autárquicos. São excelentes candidatos, gente reconhecida profissionalmente, com experiência e que todos conhecem. O jornal conta ainda com as 12 propostas estruturantes que representam uma nova geração de políticas autárquicas.



João Paulo Pedrosa

sábado, setembro 17, 2005

200 pessoas

estiveram hoje no jantar da nossa candidatura na Moita o que é um record de participantes. Os moitense acederam à chamada, foram entusiastas e estão motivados para o enorme desafio que é reforçar a votação na junta de freguesia e eleger o José Lebre para vereador da câmara municipal, força !



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, setembro 15, 2005

6. Orçamento Participativo


A Câmara Municipal da Marinha Grande vai adoptar o Orçamento Participativo, uma metodologia de trabalho que tem sido praticada em alguns municípios europeus (entre os quais portugueses) e latino-americanos, com especial destaque em Porto Alegre (Brasil), cujo projecto tem sido considerado um caso exemplar em instâncias internacionais de estudo e debate sobre gestão urbana.
O Orçamento Participativo é uma metodologia de trabalho para a elaboração do Plano de Actividades e Investimentos Municipais baseada em processos de participação directa da população e das instituições locais.
Na Marinha Grande, e numa fase inicial, o Orçamento Participativo concretizar-se-á através de reuniões públicas de informação e debate sobre o Plano de Actividades e Investimentos Municipais, abertas à participação de todos os cidadãos interessados, quer presencialmente, participando nas reuniões, quer através de um e-mail específico. As reuniões decorrerão no período de preparação do Orçamento Municipal, nos principais lugares do concelho. Pretende-se assim reforçar a proximidade e o compromisso do poder local com as pessoas de todas as localidades do concelho. Com mais informações, a Câmara pode decidir melhor e servir melhor as pessoas. E as pessoas ganham mais força para intervir a favor dos seus direitos.


Razões:
O reforço da democracia representativa é uma tarefa permanente, já assumi o compromisso de manter o blogue para discussão e reflexão com os munícipes sobre o futuro do nosso concelho. Tenho-me dado bem com esta experiência e acho-a útil à gestão autárquica e à população. O blogue pode ser também um veículo de sugestões para o orçamento participativo. Numa primeira fase, disponibilizar-se-à uma verba do orçamento distinada a acolher as propostas de participação dos cidadãos. Vamos ver se resulta. Estou confiante!



João Paulo Pedrosa

5. Gabinete de Apoio ao Munícipe


O Gabinete de Apoio ao Munícipe (GAM) é uma estrutura a criar na Câmara da Marinha Grande, a que o público terá acesso directo e permanente, no horário de expediente e on-line, com resposta no momento. O GAM não só receberá as queixas dos munícipes decorrentes da actividade da autarquia, como receberá as suas sugestões e, sobretudo, encaminhará e apoiará os munícipes quer no seu percurso pelos gabinetes e secções da autarquia, quer encaminhando-os, quando for caso disso, para outros organismos e entidades.
O GAM dará resposta, designadamente, às queixas e denúncias dos munícipes quanto à necessidade de intervenções urbanas, encaminhando essas queixas para uma brigada de intervenção rápida, liderada por um engenheiro, com o objectivo de resolver as pequenas questões apontadas pelos munícipes (lancis soltos, sinais em faltas, placas de sinalética desaparecidas, buracos no pavimento, árvores secas, etc.)


Razões:
As câmaras estão hoje, cada vez mais, talhadas para realização de obras de maior intervenção (escolas, piscinas, pavilhões, arruamentos, etc) e o corpo de funcionários muito vocacionado para essas tarefas, elaboração de projectos e fiscalização de obras... e por vezes os pequenos pormenores não são bem resolvidos, demoram tempo e é quando o são. Por isso este serviço de resolução de pequenos problemas é fundamental e necessário.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, setembro 14, 2005

4. Valorização do eixo Leiria-Marinha Grande


A Câmara da Marinha Grande vai valorizar de forma extensiva as relações bilaterais com o município de Leiria, sem prejuízo das relações multi-laterais no âmbito da Associação de Municípios da Alta Estremadura. Além de cimeiras periódicas bilaterais entre os dois presidentes, para articulação de ideias e projectos políticos, a Câmara da Marinha Grande criará um gabinete de acompanhamento e articulação das relações, aos mais variados níveis, entre as suas autarquias, quer ao nível das infra-estruturas, quer ao nível das políticas de desenvolvimento, que devem ser complementares.
Na valorização do eixo Leiria Marinha Grande daremos particular ênfase à resolução de problemas em comum (IC36), alargamento da variante da Barosa e aproveitamento do espaço fronteiriço entre os dois concelhos (zona Albergaria/Barosa) para procurar chamar um investimento de grande envergadura na área das exposições industriais de nível internacional e/ou no ramo do turismo, com a possibilidade de criação de um equipamento âncora, como por exemplo um parque de diversões temático.


Razões:
A industria de moldes, vidros e plásticos, embora com ordem de grandeza diferente, situa-se nestes dois concelhos, razão pela qual devem caminhar juntos em muitas destas áreas. A base aérea de Monte Real situa-se na confluência dos dois concelhos e, no limite da Barosa/Albergaria, está um nó de auto-estrada e uma futura estação de TGV, por conseguinte, infra-estruturas que interessem estudar e analisar por parte dos dois municípios.




João Paulo Pedrosa

3. Conselho para o Desenvolvimento Económico



O Conselho de Desenvolvimento Económico é um órgão de consulta da Câmara Municipal da Marinha Grande, que colaborará na definição da estratégia de desenvolvimento económico a adoptar pela Câmara Municipal da Marinha Grande. Reunirá de forma mais intensiva no início do mandato, para produzir um documento de enquadramento político a denominar Grandes Opções Estratégicas do Desenvolvimento Económico do Concelho da Marinha Grande; depois reunirá semestralmente, para acompanhamento da execução das medidas preconizadas.


Razões:
Apostar no diálogo e na valorização das parcerias entre empresários e a câmara, entre as associações empresariais e sindicais, entre outras. A industria de moldes ganhou muito com a criação de CEFAMOL e, estou em crer, a industria da Marinha Grande também ganhará colocando as pessoas a falar umas com as outras. Por outro lado, é preciso preparar o futuro, estudar as tendências, antecipar os problemas e cuidar das necessidades, penso que isto só se conseguem com cooperação e com o empenhamento de todos.



João Paulo Pedrosa

terça-feira, setembro 13, 2005

Registo com agrado

Na hora do almoço, o candidato do Bloco de Esquerda, sr Ernesto Silva, dirigiu-se ao Leonel e tratou-o por: "futuro presidente da junta".


João Paulo Pedrosa

Sensibilidade para os pequenos grandes problemas na Junta de Freguesia





João Paulo Pedrosa

2. Gabinete de Apoio ao Empresário e ao Investimento

Esta ofensiva de promoção da Marinha Grande terá de ser complementada com a criação de condições que permitam receber e enquadrar devidamente os investimentos. Assim, será criado na autarquia um Gabinete de Apoio ao Empresário e ao Investimento, que permitirá licenciar projectos industriais, comerciais ou turísticos em apenas 15 dias, bem como proporcionar um espaço específico para, entre outras valências: divulgar os apoios disponíveis ao investimento; encaminhar os potenciais investidores para as instituições que podem auxiliar a criação de empresas e de emprego qualificado; apoiar concretamente a criação de empresas; informar sobre a criação do próprio emprego.


Razões:

A razão desta medida é muito simples, se queremos atrair investimentos temos que responder bem às necessidades dos empresários, no pelouro do urbanismo, por exemplo, apesar da prioridade que já atribuimos a estes processos, ainda não é suficiente para eliminar a burocracia administrativa. Todavia, com a
informatização geográfica de todo o território municipal é agora possível (e por isso o compromisso) proceder a aprovações de projectos de industrias ou turísticos no prazo de 15 dias, disponibilizando, claro está, um técnico arquitecto ou engenheiro para esse procedimento, pois é isso que vamos fazer.



João Paulo Pedrosa

1. Marinha Grande Capital da Inovação

Trata-se de um conjunto de medidas que se propõem dar a conhecer e aumentar a atractibilidade da Marinha Grande como destinatária de investimentos privados que valorizem o concelho.
Inclui uma campanha de marketing de âmbito nacional, que se destinará a valorizar as características do concelho da Marinha Grande como destinatário ideal de investimentos de alto valor acrescentado. Inclui ainda uma campanha nacional de promoção do concelho da Marinha Grande como terra de capital humano qualificado, com ambiente propício aos investimentos tecnológicos e com uma rede de serviços altamente especializados que assegurem a retaguarda das empresas; além da publicidade institucional em meios nacionais, contemplará sobretudo acções de relações públicas a desenvolver junto de públicos-alvo específicos; por exemplo, visitas de delegações de empresários nacionais e estrangeiros; de governantes e responsáveis de organismos com a tutela do IDE; de jornalistas de meios económicos nacionais e líderes de opinião.


Razões:
A razão principal desta medida é a crise económica e as dificuldades crescentes das nossas empresas. Ainda assim, entendo que só conseguiremos superar os constrangimentos, procurando competir com os melhores, com os mais inovadores e com os mais qualificados. Por outro lado, quando há cada vez mais concorrência entre produtos, entendo que devemos ajudar a promover os nossos, isso é bom para as nossas empresas e pode ajudar a manter os empregos.



João Paulo Pedrosa

Uma Nova Geração de Políticas Autárquicas


foi apresentada há pouco em conferência de imprensa na nossa sede de campanha. São doze aquelas acções que seleccionámos do vasto programa que vamos apresentar em breve.
Indicaremos agora apenas os títulos e, a partir de amanhã, cada uma dessas propostas irá ser aqui desenvolvida, sempre com uma pequena explicação sobre a sua necessidade e os problemas que pretende ultrapassar. Ei-las:

1. Marinha Grande Capital da Inovação;
2. Gabinete de Apoio ao Empresário e ao Investimento;
3. Conselho de Desenvolvimento Económico ;
4. Valorização e desenvolvimento do eixo Leiria-Marinha Grande;
5. Gabinete de Apoio ao Munícipe;
6. Orçamento participativo;
7. Centros de convívio para idosos “Espaço Sénior”;
8. Uma escola com cultura tecnológica e científica;
9. Centro de Apoio Juvenil;
10. Uma cidade amiga do cidadão;
11. Posto de Atendimento ao Cidadão;
12. Princípio da subsidiariedade − mais competências para as autarquias;



João Paulo Pedrosa

Telmo Neto

disse há pouco, " a Nova Geração de Políticas Autarquicas do PS contrapõe-se ao programa da CDU, ou seja, à Velha Geração de Políticas Autárquicas".



Comentário
De facto, quem ler o programa da CDU de hoje podia fazê-lo também em 1985, as mesmas ideias, as mesma propostas de sempre (descontando aquelas que entretanto já foram concretizadas), sem ambição, sem visão nem horizontes, ou sequer uma perspectiva para o futuro do concelho. Às vezes tenho a sensação desconfortável que estou a concorrer para uma eleição que já ocorreu há vinte anos. Tenho pena, eu quero uma eleição e um diálogo para os dias de hoje, para os cidadãos e para os problemas de hoje.



João Paulo Pedrosa

segunda-feira, setembro 12, 2005

Uma Visão que Aposta no Futuro!


O nosso candidato a presidente da Câmara acaba de dar conta à comunicação social de alguns dos Projectos Estruturantes que integarão o nosso Programa autárquico.
Trata-se de uma selecção de 12 dos aspectos mais relevantes do Programa e que se inserem na linha de "uma nova geração de políticas para o munícipio",tal como a discussão alargada do Programa tem vindo a exigir de forma inadiável.
Da "Marinha Grande capital da Inovação" ao "Conselho de Desenvolvimento Económico", passando pela "Valorização e desenvolvimento do eixo Leiria/MªGrande",pelo "Orçamento Participativo" ou por "Uma Cidade Amiga do Cidadão",para salientar apenas alguns dos projectos mais inovadores, e sem olvidar "O espaço senior", o "Gabinete de Apoio ao Munícipe","O centro de Apoio Juvenil" ou "Uma escola com cultura tecnológica",o que fica na retina é a coragem de assumir compromissos que visam o futuro e também a qualidade de vida das novas gerações.
É,sobretudo,uma concepção abissalmente diferente dos Programas imediatistas,parados no tempo e sem fôlego prospectivo que são a marca dos "cadernos de encargos reivindicativos" apresentados pelo PCP/CDU e pelo PSD.
Pela amostra dos 12 Eixos Estrurantes do Programa Eleitoral,creio podermos vir a apresentar, após o Fórum do próximo Sábado,um conjunto de compromissos que, sem renegar as necessidades das políticas mais imediatas dos munícipes do nosso concelho, seja,antes,um instrumento ordenador e potenciador das políticas de nova geração que fixem definitivamente o nosso Município na senda das novas exigências dos munícipes do século XXI.




Osvaldo Castro

domingo, setembro 11, 2005

Projectos fundamentais


para o nosso concelho e para os próximos anos, serão apresentados amanhã pelas 17 horas, em conferência de imprensa, na sede de campanha. Antecedendo a apresentação do programa eleitoral no próximo fim de semana, esta iniciativa assinala os mais importantes projectos do PS nas áreas da economia, da acção social, da educação, das acessibilidades, da modernização e da cidadania.


João Paulo Pedrosa

Acabadinha de inaugurar




a sede de candidatura do PS para as próximas eleições autárquicas, por lá passaram muitos amigos e apoiantes do nosso projecto político, da rua foram também muitos os que, de passagem, nos deram palavras de incentivo e conforto para a batalha política que aí vem.



João Paulo Pedrosa

Os quadros do Dalí estão caros



O Benfica marcou hoje o seu primeiro golo no campeonato, logo contra o Sporting, há quem tenha inícios menos promissores.


João Paulo Pedrosa

sábado, setembro 10, 2005

A palavra dos leitores

Ao longo dos anos, os avanços e os recuos das medidas a tomar no campo do combate à toxicodependência têm-se multiplicado, levando com isso à constante prorrogação de decisões fundamentais nesta área. A meu ver, com a concretização do CAT da Marinha Grande irá ser finalmente criada uma estrutura primária de apoio ao tratamento e prevenção da toxicodependência. Neste âmbito, deve enaltecer-se os esforços desenvolvidos no campo da acção social pelas entidades competentes, que desde há muitos anos a esta parte têm vindo a requerer a criação de um centro com estas competências na nossa cidade. Decerto, não será só com a abertura do CAT que se irá erradicar de forma definitiva o mal da toxicodependência na Marinha Grande, é notório que existem forças contrárias, mas também não devemos subestimar as potencialidades inerentes.
Muito abertamente, lamento o atraso com que este centro chega à Marinha Grande, e temo que ainda existam barreiras a ultrapassar com determinados corpos de decisão, mas creio que é chegado o tempo de cada um de nós pensar no que é que a partir de em breve poderá ser feito pelos toxicodependentes, numa primeira análise, e pelo bem-estar de cada um de nós se olharmos às consequências positivas deste instrumento.
Sem mais de momento


Nuno Ferreira

Comentário:

Como tive oportunidade de referir no debate de segunda-feira passada com os meus opositores, o problema da toxicodependência combate-se com informação e prevenção dos jovens, sobretudo dos jovens, com um forte combate ao tráfico e com tratamento e humanidade para com os doentes. O CAT sempre foi um objectivo a concretizar e por isso reuni há dois meses com o Instituto da Droga e da Toxicodependência, sou favorável também, nos casos em que a realidade o justifique, às salas de injecção assistida.

João Paulo Pedrosa

sexta-feira, setembro 09, 2005

Abertura da sede de candidatura

é já no próximo sábado, dia 10 de Setembro, pelas 17.30 na Avenida Dr José Vareda (em frente ao BPI no cruzamento que vai para a escola Calazans Duarte). Estão todos convocados para esta sessão de abertura, num espaço que queremos de debate e de discussão sobre o futuro do nosso concelho. Neste espaço faremos as nossas próximas reuniões e organizaremos as nossas acções de campanha, agora que falta apenas um mês para as eleições. Estão de parabéns a nossa directora de recursos humanos, camarada Vanda Sousa e todos os camaradas (Cilita, Victor Aménio, Zé Rui, Anibal, Paula e tantos outros) que se têm empenhado na decoração e arranjo do espaço. Está agradável e funcional.
É favor comparecerem lá no próximo sábado, todos são bem vindos.



João Paulo Pedrosa

quinta-feira, setembro 08, 2005

O "site" ao alcance de um clique

O nosso candidato Carlos Carvalho acaba de construir o site do PS onde estão os resultados eleitorais anteriores, informação sobre os candidatos, as próximas acções de campanha já confirmadas. O "site" já se encontra na lista de links, ali do lado direito.
Osvaldo Castro

quarta-feira, setembro 07, 2005

Pela amostra,o Mercado parece excelente!

Olhando as fotografias colocadas no Blog,tudo indica que é uma pena que, por razões alheias à Câmara,o Mercado novo não esteja ainda a funcionar...parece moderno,amplo,iluminado e funcional.Não pude lá ir ainda por motivos de trabalhos parlamentares,mas espero poder visitá-lo nos próximos dias e confirmar estas primeiras impressões...



Osvaldo Castro

Visita ao novo mercado municipal


Aproveitando o tempo de abertura ao público do novo mercado municipal da Marinha Grande, os candidatos do PS às próximas eleições autárquicas foram ver as instalações, juntando-se às inúmeras pesseoas que já lá se encontravam em visita. A opinião geral é de que se trata de um excelente espaço, moderno, amplo, bonito, dotado das melhores condições para servir as pessoas. Como se vive um periodo de campanha eleitoral e a desinformação tem sido tanta, a surpresa pela qualidade daquele espaço era generalizada. É pena, de facto, diziam muitos populares, que um equipamento desta natureza não esteja já ao serviço da população que há anos o espera.
Os candidatos do PS conversaram com muitos populares que ali se encontravam e alguns dos futuros vendedores e puderam trocar opiniões sobre a funcionalidade do espaço e sobre a necessidade de alguns ajustamentos a realizar. Estamos certos que em diálogo com os vendedores e acautelando sempre o interesse público, dentro em breve o novo Mercado Municipal abrirá as suas portas.



João Paulo Pedrosa

O Novo mercado municipal






João Paulo Pedrosa

terça-feira, setembro 06, 2005

Uma Nova Geração de Políticas Autárquicas

Apesar de não ter podido estar presente no debate,razões de Assembleia da República,já fui informado por várias fontes,especialmente insuspeitas, que o João Paulo Pedrosa marcou bem a diferença...bem preparado,conhecedor dos dossiês,afável e determinado em gerir democraticamente o concelho da Marinha Grande.
Do outro lado,dizem-me, ou eram estilos passadistas,sem inovação e sem garra,ou, ainda pior,a impreparação.
Quer dizer que estamos no bom caminho e que merecemos ganhar com condições para governar,isto é,sem que o PS fique refém de qualquer outro partido...
Temos,portanto,de continuar a preparar o futuro,designadamente o Programa que pretendemos apresentar aos eleitores marinhenses,vieirenses e moitenses.
Como contributo para esse debate,atrevo-me a sugerir a leitura de um artigo que sairá na próxima 5ªfeira no Jornal da Marinha Grande e que subordinei ao título que encima este "post".
Trata-se de encarar a gestão autárquica de uma forma moderna,participada e cidadã.É também isto que temos vindo a debater nas nossas reuniões...mas temos de o programar para o cumprir!
Osvaldo Castro

Olha que o Koeman está de saída...

Caro amigo Joäo Paulo,
Faco votos que o concelho te possa ter como presidente, recordo que na infancia sempre foste um amigo equilibrado nas decisöes e grande sentido de responsabilidade.
Nos momentos exigentes e difíceis tais como nos conflitos entre os nossos grupos de amigos; com a tua sensatez, sempre soubeste como fazer a ponte entre dois grupos; como era o caso dos Retornados na Praia da Vieira e os Nativos da Praia da Vieira.
Conseguimos por haver amigos como tu, ter orgulho de uma infancia saudável e sem turbulências de maior...
Amigo Joao Paulo, como sabes sou treinador de futebol na Primeira Divisäo da Suécia, e estou longe de Portugal.. mas estou suficientemente perto para com esta mensagem te manifestar apoio neste novo desafio da tua carreira politica.
Serás sem duvida alguma um grande Presidente!

Abraco do amigo José Morais

Debate, primeiras fotos



Elaboração do programa, hoje é na Moita

O debate: primeiros apontamentos

Terminou há pouco o primeiro debate com os candidatos à presidência da câmara municipal da Marinha Grande no Sport Operário Marinhense, numa organização do Jornal de Leiria. O debate realizou-se com bastante elevação na medida em que o nosso candidato, João Paulo Pedrosa, não respondeu a provocações, nem sequer problematizou, no capítulo do urbanismo, as acusações ao governo americano por não ter reforçado os diques de Nova Orleães (sic). O nosso candidato procurou ter uma postura didáctica, explicando os projectos que tem para a área da terceira idade, das acessibilidades, do urbanismo, do desenvolvimento económico, da saúde, da toxicodependência e tantos outros que resultaram das perguntas dos jornalistas. Da parte dos outros candidatos não houve, com excepção do CDS/PP, nenhum contributo substantivo para o debate, limitando-se os candidatos a dizer o que não se fez, em vez de dizerem o que se devia fazer. Neste particular, o candidato da CDU, o mais que conseguiu foi dizer que ia pedir (sic) "às assistentes sociais que estudassem os assuntos da área social", pensamos que é pouco, é muito pouco para quem tem a ambição de liderar um concelho com a dinâmica e os pergaminhos da Marinha Grande.

segunda-feira, setembro 05, 2005

A Reunião das Boas Ideias!

A reunião do passado Sábado,na sede do PS, com os candidatos aos diversos órgãos, residentes na freguesia da Marinha Grande, foi um sucesso...!
Apesar de ser noite de futebol da nossa Selecção,a verdade é que muitas dezenas de candidatos estiveram a debater ideias até para além da uma da manhã...e Boas Ideias...
Gente jovem,muitas senhoras,munícipes que pela primeira vez se candidatam ao poder local,inúmeros independentes,que nunca antes haviam cruzado as portas de um partido -creio poder dizê-lo- sentiram-se verdadeiramente participantes na construção do futuro da nossa terra.
É uma experiência muito importante a reter,algo que valerá a pena repetir,agora na Sede de Campanha e especialmente tendo em conta que se trata de cidadãos que merecem ser estimulados e acarinhados na sua participação cívica, tal a qualidade das suas contribuições.
No fundo, todos nos encontrámos em torno de ideias que configuram uma preocupação que assoberba alguns de nós,que vai alastrando e que vale a pena ser concretizada.
Ou seja, a fixação, nas linhas programáticas do PS para o concelho, de uma Nova Geração de Políticas Autárquicas.
Não que não tenhamos ainda de resolver alguns dos velhos problemas locais,caso do saneamento, que teremos de terminar neste próximo mandato.
Mas é tempo de avançar decididamente para as medidas de dinamização económica,polarizadoras de investimento e geradoras de emprego e para a inovação de métodos qualificadores dos cidadãos da nossa terra,apostando nas novas tecnologias e desburocratizando procedimentos.
Enfim,continuar a requalificação e sustentabilidade ambiental de que o Parque,a Cerca e a Estrada Atlântica,são meros exemplos,e apostando definitivamente no Centro Histórico. Talvez conjugando as infraestruturas envolventes com o novo Auditório/Centro de Congressos e transformando o velho mercado numa "âncora" do comércio,da restauração,do lazer e,porventura, num espaço de encontro e de cidadania...
O que aqui escrevo mais não são do que ideias que ouvi na reunião de Sábado,mas um pobre resumo face à riqueza de opiniões que lá ouvi...
Que a Reunião da Moita,com objectivos idênticos,mantenha o mesmo perfil,são os meus votos. E sei que assim será...não obstante as minhas tarefas na Assembleia da República me impedirem de lá estar amanhã...alguém me fará o resumo.Bom trabalho!



Osvaldo Castro

domingo, setembro 04, 2005

Amanhã há debate

no Sport Operário Marinhense, pelas 21 horas, com os candidatos do PS, CDU, PSD, CDS e BE à câmara municipal, a organização é da responsabilidade do Jornal de Leiria.



João Paulo Pedrosa

Uma Junta de Freguesia mais perto da população


Entrevista de Leonel Mendes, candidato a Presidente da Junta de Freguesia da Marinha Grande

Que factores o levaram a candidatar-se à presidência da Junta de Freguesia?

Sou marinhense e há muitos anos que, quer como autarca na Junta de Freguesia, quer como dirigente em colectividades locais e na direcção dos bombeiros voluntários, me preocupo com os problemas da minha terra. Devido a esta experiência de dirigente associativo em pequenas colectividades, fui ganhando um gosto particular pelos problemas do cidadão comum, das ruas, dos lugares, problemas que às vezes passam despercebidos às grandes instituições, mas que são fundamentais para melhorar a vida das pessoas. Nesse sentido sinto que é nas juntas de freguesia que esse trabalho pode ser mais útil e eficaz e estou preparado e tenho vontade de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da minha terra. Trata-se de um desafio que aceitei de bom grado e que se traduz numa grande responsabilidade.

Que problemas identifica na freguesia?

Um dos grandes problemas é a soma dos pequenos problemas, quer de índole social, quer ao nível infra-estrutural. A nível social preocupam-me os mais desfavorecidos e aqueles que mais precisam da nossa ajuda e solidariedade. Conheço bem a freguesia e as pessoas da Marinha Grande e é próximo delas que procurarei exercer o meu mandato de Presidente da Junta de freguesia. Os autarcas de freguesia podem alertar para os pequenos casos que não são do conhecimento das instituições. Por exemplo, o do idoso que sofre sem que ninguém o auxilie, aquela casa que está degradada e não há dinheiro para a reparar, aí o autarca de freguesia pode, com os meios da Junta dar ajuda numa pequena reparação da casa, num encaminhamento para outras instituições, etc. Considero que o Presidente da Junta, como eu encaro o exercício da função, deve ser o primeiro a chegar, o primeiro a levantar os problemas de quem precisa e de quem sofre.
A nível de infra-estruturas é preciso dar mais atenção aos lugares, executando pequenos arruamentos que servem as populações, resolver problemas de saneamento doméstico e pluvial, tratar da limpeza de ruas e caminho dos lugares mais distantes e onde por vezes não se chega.
Outros problemas que mais afectam a freguesia, e aos quais vou dar a maior atenção, são a reabilitação do centro histórico e a defesa do comércio tradicional, e o trânsito e estacionamento no centro urbano. São problemas que a Câmara está empenhada em resolver, que já lançou as bases para os resolver, e que ultrapassam as competências da Junta, mas o que a Junta pode, e deve fazer, é aumentar as pontes de diálogo entre os cidadãos e a Câmara, para serem definidas e aprofundas as estratégias mais adequadas, e depois apoiar a Câmara na resolução dos problemas.
Para mim, ao contrário do que se faz hoje, não basta ouvir as pessoas e canalizar a resolução dos problemas para a câmara. Eu quero ouvir as pessoas e resolver os seus problemas.

Como pensa resolver os problemas da freguesia?

Os problemas da Freguesia serão resolvidos de acordo com princípios definidos e orientados no sentido de melhorar a qualidade de vida dos munícipes. Como disse anteriormente é preciso estar perto da população e conhecer bem os seus problemas, só assim podemos agir para os poder resolver. Conto, através do orçamento da Junta de Freguesia, acudir aos problemas mais prementes e mais imediatos nas necessidades da população e pretendo cooperar em estreita ligação com a câmara municipal para a resolução daqueles problemas que vão para além da nossa esfera de actuação e dos nossos meios técnicos e financeiros. Não será com certeza por falta de empenhamento que um problema ficará por resolver.

Está consciente dos meios limitados que as Juntas têm ao seu dispor?

Sei que a junta da Marinha Grande tem tido a cooperação da Câmara Municipal que lhe tem dado, desde as últimas eleições autárquicas (2001), um enorme apoio financeiro e logístico, para que assim possa fazer os melhoramentos necessários de forma a satisfazer os seus habitantes. Todavia, não me resigno a isso. Pretendo que a cooperação entre a junta e a câmara seja de molde a dar mais conforto e bem-estar à população. É preciso cooperar sem que haja sobreposição de funções. Não deve haver duplicação de meios para o mesmo efeito, os recursos financeiros são escassos e o dinheiro tem de ser bem gasto, deve haver um definição clara entre a junta e a câmara sobre as áreas de intervenção porque ao estarmos a duplicar a disponibilidade de meios há sempre alguém que fica sem ajuda e sem auxílio. Vou pugnar para que a política de delegação de competências, com a consequente transferência do envelope financeiro, se aprofunde, em nome do princípio de subsidiariedade: quem está mais próximo das populações pode actuar melhor em determinadas matérias, e isso significa gastar melhor cada cêntimo do dinheiro dos contribuintes.

Quais serão as prioridades para os próximos quatro anos?

As principais prioridades serão sempre orientadas no sentido da melhoria da qualidade de vida dos habitantes marinhenses, de um apoio real e efectivo tanto às pessoas que já estão na situação de reforma, como também às crianças e jovens, no âmbito da solidariedade e intervenção de qualidade nos lugares da freguesia, de forma a proporcionar maior bem-estar aos seus moradores. Apoio aos mais desfavorecidos na recuperação da sua habitação, resolver problemas de arruamentos e saneamentos que tornam a vida dos moradores muito difícil, alindar praças e jardins, para que a vivência nos lugares seja mais agradável, recuperar os fontanários e fontes, respeitando a sua memória histórica e não os desvirtuando, no fundo, pretendo que a população que servimos, dos lugares mais afastados, dos lugares mais isolados, possam sentir que têm alguém perto deles e que se preocupa com os seus problemas. E, também, como já disse, cooperar com a Câmara na procura de soluções e na sua concretização, naqueles problemas que ultrapassam as competências da Junta mas que são fundamentais para a qualidade de vida e o progresso da freguesia, como a reabilitação do centro histórico e a melhoria das acessibilidades e circulação.

Como pensa financiar os projectos?

Com o financiamento privativo da Junta e com as verbas oriundas do protocolo de delegação de competências com a Câmara, que pretendemos mais aprofundado, como expliquei. Não me quero substituir à câmara municipal, nem quero dizer apenas à câmara que faça. Sinto que temos capacidades para resolver muitos problemas sem nos desculparmos com isto ou aquilo. Tenho junto de mim uma equipa com provas dadas. Gente que ao longo dos anos sempre trabalhou em prol do desenvolvimento da Marinha Grande. Gente que esteve nas colectividades, nas associações de solidariedade social e que conhecem bem a realidade de todos os lugares da freguesia, as pessoas e os problemas. Estou certo de com um trabalho de uma equipa experiente e capaz podemos fazer muito pelo desenvolvimento desta freguesia.

Defende o estabelecimento de um protocolo com a Câmara no âmbito de uma politica de descentralização de competências?

O actual protocolo, como disse anteriormente, já define alguma descentralização de competências entre a Câmara e a Junta. No entanto, é possível que se consigam fazer alguns ajustamentos para o aperfeiçoar nas áreas da solidariedade, da educação, da habitação, nas infra-estruturas e na melhoria do ambiente. Pretendo também que o licenciamento de pequenas obras de reparação, muros e telheiros, possa ser feito pela junta de freguesia, penso que a rapidez e a proximidade da realidade podem ajudar os munícipes nesta matéria. O que é necessário respeitar é o tal princípio da subsidiariedade, que já referi: se a Junta pode fazer melhor e mais depressa do que a Câmara, então que seja a Junta a fazer.

Em que tipo de obras pode a Junta substituir-se à Câmara?

Penso que a junta substituir-se à Câmara em obras que não sejam de grande vulto, mantendo no entanto capacidade organizativa e de intervenção para executar outras obras em áreas desde alcatroamentos, escolas, arruamentos, jardins, como tenho vindo a referir ao longo das respostas anteriores.

Que balanço faz do mandato do actual executivo da Junta?

O balanço que faço do actual mandato é pouco. Fazendo uma análise, verificamos que o trabalho executado pela junta não foi de forma alguma inovador, pois assistimos apenas à conclusão e andamento de obras iniciadas pelo executivo anterior. Não houve aposta em inovação, modernidade ou desenvolvimento dos lugares. É preciso estar mais perto das populações e ter disponibilidade para ouvir os seus anseios e os seus problemas e não dizer que as coisas não são da nossa competência mas sim de outros. Comigo em Presidente da Junta não há “esse problema não é da minha competência”, comigo todos os problemas, porque são problemas dos cidadãos, têm a ver com a Junta de Freguesia, com o seu Presidente e com o seu executivo.

E que balanço faz do trabalho fiscalizador da Assembleia de Freguesia?

A Assembleia de Freguesia tem de facto o papel de órgão fiscalizador na sua intervenção democrática e nesse sentido foi sempre essa a sua atitude durante esta legislatura. A assembleia sempre se pautou pelo respeito no pedido de esclarecimentos sobre questões que eventualmente não tivessem sido compreendidas ou bem explicadas, nunca utilizando uma política de oposição só por ser oposição, tentando assim sempre ajudar na resolução dos problemas do executivo sem nunca pôr em causa o seu bom funcionamento. O PS na oposição sempre foi uma oposição construtiva, ao contrário da CDU, que nos órgãos deliberativos onde esteve representada sempre pôs obstáculos à acção da câmara. Os interesses dos partidos políticos nunca se devem sobrepor ao interesse das populações, e nós no PS temos bem a consciência disso.

Que mensagem gostaria de deixar à população da freguesia?

A mensagem que deixo à população da freguesia é aquela em que acredito. E eu acredito que sou capaz de fazer com que a freguesia tenha num futuro próximo orgulho no seu Presidente da Junta, pelo trabalho realizado a favor das populações. A mensagem que deixo é uma mensagem de esperança no futuro e uma garantia de total disponibilidade para os problemas, as dificuldades e os anseios dos marinhenses.