quinta-feira, junho 30, 2005

É para levar a sério ?

" o pior problema do concelho é o executivo do PS"
Artur Oliveira, candidato do PSD, JMG 30 de Junho

Para mim o pior do concelho não é a oposição do PSD, são os problemas das pessoas e as necessidades ainda não satisfeitas.



João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 29, 2005

Gabriel Roldão

aceitou hoje o convite que lhe fiz para ser o Mandatário concelhio da candidatura do PS à presidência da câmara. Para mim pessoalmente e para o PS é uma grande honra contar com o apoio, o estímulo e o espírito crítico de tão ilustre marinhense. Gabriel Paulo Ramos de Sousa Roldão é simultaneamente um empresário de sucesso e um homem de cultura. Começou a sua vida como empregado de escritório, passou pela direcção comercial de uma fábrica de plásticos, foi proprietário de uma empresa de produção e comércio do mesmo sector, até chegar a fundador do Banco Comercial Português (BCP). Nos últimos tempos tem dedicado muito da sua vida à investigação sobre a história local, construindo um valioso património cultural que generosamente vem colocando ao serviço da sua querida Marinha Grande. Gabriel Roldão é um espírito livre, pensamento independente (foi mandatário de Cavaco Silva na única vez que a direita ganhou este concelho), cidadão de causas e um homem afectuoso.
É uma enorme honra contar com ele para construir o futuro. Tudo farei para não desmerecer a sua confiança. Obrigado Gabriel.


João Paulo Pedrosa

A perfeição ao alcance de um simples debate

[a gestão socialista] foi má de mais para ser verdade. lembro, por exemplo, a falta de debate político levada a efeito pela força que detém o poder.

Ernesto Silva, candidato do Bloco de Esquerda, JMG, 23 de Jumho 2005


Quer dizer, se ao menos nos tivessemos lembrado de promover um debatezito seriamos os melhores do mundo, não ?


João Paulo Pedrosa

terça-feira, junho 28, 2005

200 mil

é o número de refeições que servimos por ano às crianças do ensino pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico. Quando assumi as funções de vereador da educação fui visitar a escola onde fiz a instrução primária (como assim se chamava). Estava tal e qual como a deixei há quase trinta anos atrás, melhor dito, estava trinta anos pior. Tinha até uma cantina, construida em 1976, que nunca tinha funcionado, era o armazém de vassouras e produtos de limpeza. Hoje serve 1500 refeições por mês.
Num momento em que a Associação Nacional de Municípios diz que quer negociar com o governo a introdução do serviço de refeições no primeiro ciclo do ensino básico é bom que nos lembremos destas coisas.


João Paulo Pedrosa

segunda-feira, junho 27, 2005

Palavras certas

Olá João Paulo,
Diariamente (e, por vezes mais de uma vez...) venho consultar o teu 'blog' para saber novidades... Hoje, ou melhor ontem, sexta-feira dia 24 de Junho, não tive o prazer de ler nada de novo!... Foi pena. Fico a aguardar por melhores oportunidades!...
Para já um comentário ao 'blog': é uma muito boa ideia. É inovadora qb e pode ser um veículo de contacto com os munícipes, agora na pré-pré campanha, depois na pré-campanha, durante a campanha, e será sobretudo importante se, ao ganhares a Câmara - como se espera -, mantiveres esta (importante) porta aberta para que os marinhenses, lato senso, por ela possam entrar para poderem, de forma franca e despida de formalismos fazerem comentários, deixarem alvitres e exporem ideias numa de democracia participativa que, infelizmente, nem sempre parece ir acontecendo neste mundo de política que, por vezes, dá a impressão de andar arredada do seu verdadeiro significado!...
Hoje, além de te felicitar e de te dar os parabéns pela ideia, pouco mais tenho a dizer-te. Espero continuar a visitar o sítio e não deixarei de te dar umas dicas sempre que (e quando) o ache oportuno.

Para já um abraço
Fernando Pedro




O Fernando Pedro é daquelas pessoas que devemos ter sempre em conta o que diz. Empresário e homem de cultura, o Fernando esteve sempre na vanguarda da acção e do pensamento na Marinha Grande, fundou uma empresa de moldes, foi presidente da Cefamol, fundou o Rádio Clube Marinhense e iniciou o projecto Rotário na cidade (isto assim que me lembre de de cor). Portanto, se diz que o blogue é uma boa iniciativa e para continuar porque isso é bom para a democracia, então tem que ser mesmo para continuar.
Meu caro Fernando é verdade que quero "postar" mais, mas a elaboração de listas, os convites, a planificação da campanha, a discussão em blogues e o trabalho do dia às vezes não deixam muito espaço. Pelo menos um post por dia é um compromisso que procurarei cumprir. Entretanto espero pelos seus contributos e sugestões, são desejados e muito bem vindos.



João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 24, 2005

É para continuar

com o blogue se vencer as eleições. De facto, tem chegado muita correspondência perguntando se em caso de vitória nas eleições eu vou manter o blogue.
É essa a minha firme intenção!
Não conheço nenhum Presidente de Câmara com um blogue, mas a Marinha Grande é assim, a capital da inovação.


João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 22, 2005

A política cultural

de uma autarquia deve ser, predominantemente, uma política das “pedras vivas”, quero dizer, uma política de infra-estruturas. Nos últimos dez anos criou-se na Marinha Grande um museu do vidro, um museu de escultura, um arquivo municipal, uma biblioteca municipal com fonoteca juvenil, um cine-teatro, um auditório municipal, cinco bibliotecas infantis, duas fonotecas juvenis a abrir ainda este mês e um projecto para o museu da floresta. Estou em crer que não há no país, pelo menos na região não há seguramente, nenhum concelho que tenho apostado num conjunto tão vasto de equipamentos culturais. Por ter estado, para o bem e para o mal, directamente implicado na prossecução desta política, convém dá-la a conhecer melhor.

O Museu do Vidro, depositário de quase trezentos anos de história industrial local, atinge anualmente cerca de 30 mil visitantes, realiza duas a três exposições temporárias por ano e tem uma edição bibliográfica de autores locais (edições Pinhal do Rei), coisa que muitos dos poucos museus nacionais existentes não conseguem alcançar.

O Museu Joaquim Correia recolhe grande parte da colecção escultórica do mais reconhecido artista local e de muita da sua pintura. Sendo um museu de autor (lindíssimo do meu ponto de vista) realiza trimestralmente, à escolha do mestre, exposições artísticas e anualmente um curso de formação e iniciação ao desenho a cargo do pintor José Mouga.

O Arquivo Municipal ( a Marinha Grande é o único concelho do distrito de Leiria com uma infra-estrutura deste tipo) recolhe o acervo documental municipal, o acervo das colectividades de cultura e recreio e das fábricas que ao longo do tempo foram deixando de funcionar. Tem ainda um acervo fotográfico local de mais de 100 anos que fomos a pouco e pouco construindo com a ajuda dos marinhenses.

O auditório António Campos e o cine-teatro actor Álvaro realizam quase exclusivamente ciclos de cinema português e ciclos de cinema temático (problemas da adolescência, mulheres, liberdade, guerra, etc).

A casa do poeta Afonso Lopes Vieira, em S. Pedro de Moel, acaba de ser recuperada e, pela primeira vez, vai acolher um projecto museológico.

A Biblioteca Municipal é um equipamento cultural que resultou da recuperação do antigo edifício administrativo da Fábrica Escola e é hoje uma das infra-estruturas culturais mais utilizadas pela população no seu dia-a-dia para além de realizar anualmente cursos de sensibilização para o livro e a leitura.

Este conjunto de equipamentos culturais mudou totalmente o panorama cultural do concelho. Há 10 anos nenhum deles existia assim.

Este foi, no meu entender, o caminho mais correcto a seguir para criar uma política cultural no concelho. Sem equipamentos não há formação cultural, nem formação de públicos. Estes são também, em suma, os outros dois elementos que a prossecução de uma política cultural autárquica deve considerar, a eles referir-me-ei em breve.

João Paulo Pedrosa

A palavra dos leitores

Apoio a uma nova geração
Encontro-me neste momento a estudar na Dinamarca, mas tento manter-me a par dos acontecimentos em Portugal, em especial, aqueles que ocorrem em locais do meu interesse, como é o caso da Marinha Grande, onde passei boa parte da minha, ainda que curta, vida.Fico satisfeita, por saber do interesse de uma nova geração em assumir as rédeas da cidade, pois penso que gente nova, traz novas ideias e busca boas mudanças.Comparando o local onde vivo agora com a Marinha Grande, descubro com tristeza, que a cidade se encaminha para os tempos modernos esquecendo o que, de bom tinha no passado. Afinal, houve tempos em essa cidade rodeada pelas matas, onde o ar cheirava a natureza, era conhecida como a cidade das bicicletas; tempos em que não se notava a invasão desmedida dos carros, e onde uma zona verde não se resumia, simplesmente, a uma árvore plantada entre o asfalto e o betão.Têm todo o meu apoio uma geração, que abra as portas à inovação, mas que saiba manter as janelas abertas ao passado, que este lhe sirva de exemplo e que inspire ideias inovadoras, não tendo estas necessáriamente, de ser novas ideias.
Joana Grácio


Cara Joana,
Bom estudo aí por essas terras frias da Dinamarca. Como sabe, há hoje nas novas gerações uma preocupação acrescida com a qualidade ambiental. Talvez por isso, uma equipa de técnicos jovem e dinâmica da câmara municipal tenha, em boa hora, desenvolvido um projecto de reconversão ambiental da ribeira das bernardas que atravessa todo o centro da nossa cidade. Desse trabalho resultou uma candidatura ao programa Polis e hoje o centro da Marinha Grande tem dois imensos parques verdes e uma das maiores ciclovias do país (Marinha/S. Pedro/Praia da Vieira). Dentro em breve darei conta aqui do Plano Municipal para o Ambiente que pretendemos apresentar para o nosso concelho na próxima década.
Obrigado pela sua colaboração


João Paulo Pedrosa

terça-feira, junho 21, 2005

Fórum blogosférico nacional

a realizar na Marinha Grande, caso vença as eleições, foi o desafio que me foi lançado pelo Rui Tavares. Aceito com agrado que o nosso concelho se associe a mais esta iniciativa inovadora.

João Paulo Pedrosa

segunda-feira, junho 20, 2005

Pergunta do leitor

Um leitor faz a seguinte pergunta via e-mail:

Pedia-lhe só me explicasse uma coisa... tem participação na sociedade do Jornal da Marinha para ser sempre o cabeça de cartaz?


Não, não tenho participações em nenhum jornal, nem nunca pedi para mim próprio (faz parte da minha liberdade individual que é o meu maior poder) qualquer espécie de notícia ou informação. Fui, aliás, o único político candidato a presidente da câmara municipal da Marinha Grande a apresentar publicamente os rendimentos, o registo de interesses e o património. Até hoje mais ninguém o fez.

Todavia, a questão do leitor contém um julgamento que foi utilizado pelos meus adversários políticos e que tem a ver com facto de aparecer frequentemente em cerimónias públicas (é de notar que também me acusam de estar fechado no gabinete, acho que ainda estão indecisos no objectivo eleitoral, ou bem que vale estar num gabinete ou bem que vale estar junto da população).
Entendo por isso que é devida uma explicação:
O serviço público, como eu o entendo, pressupõe uma estratégia de actuação política (prioridades, necessidades mais importantes da população, infra-estruturas fundamentais, etc.) mas pressupõe também uma relação de proximidade com as pessoas, ouvir os seus problemas, senti-los de perto, acompanhar o trabalho que é feito pela sociedade local (colectividades, escolas, associações empresarias, sindicatos) e, muitas vezes, ouvir os dramas individuais de cada um, a perda de um emprego, o salário que não permite recuperar a habitação degradada e tantos outros. Para muitas destas coisas nós somos chamados. A solidão urbana é também hoje um problema que afecta muita gente e eu conheço bem a dureza dessa realidade. Ser autarca é uma disponibilidade permanente. Só quem nunca deu um pouco de si à causa pública é que pode pensar que estar disponível é apenas um exercício de vaidade pessoal. Pobre solidariedade!



João Paulo Pedrosa

domingo, junho 19, 2005

corso ricorso

Os meus adversários do PCP, na apresentação da candidatura deles, fazem-nos uma crítica ( a mim, presumo) por vivermos fechados em gabinetes sem ligação às pessoas, depois, voltaram a criticar-me por aparecer muitas vezes junto às pessoas em eventos locais e até por ter ousado ouvi-las em fase de revisão do Plano Director Municipal.
Afinal, estou fechado no gabinete ou estou junto das pessoas ?
Alguma blogosfera marinhense critica-me por não ter comentários aos posts (podem sempre fazê-lo por e-mail) dizendo que assim é mais um monólogo, mas logo a seguir criticam-me por ter respondido a um comentário deles.
Como se costuma dizer, preso por ter cão e preso por não ter.

Aproveito para dizer a estes últimos que, se não levarem a mal, logo que possa, faço um post sobre política cultural, uma vez que é uma discussão que estão a iniciar e da qual eu gostaria de participar.


João Paulo Pedrosa

Politicamente incorrecto

Hoje é um dia triste para o povo português. Uma manifestação com preocupações xenófobas foi realizada em Lisboa. Para quem esteve 50 anos fechado ao mundo, a abertura foi o melhor que nos podia ter acontecido, os nossos emigrantes por esse mundo fora sabem bem o valor destas palavras. O nosso problema é de falta e não de excesso de emigrantes, pois, como dizia o General De Gaulle, " o futuro é a mestiçagem".



João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 17, 2005

O mundo é composto de mudança

Este rapaz sempre votou no PSD

Jorge Coelho

participa, no próximo dia 15 de Julho pelas 21 horas, no auditório do Sport Operário Marinhense, na apresentação da candidatura do PS às próximas eleições autarquicas. Compareça.
A presença do coordenador nacional para as autarquias, honra os socialistas marinhenses e o concelho.
Jorge Coelho é o socialista que todos gostam.
João Paulo Pedrosa

quinta-feira, junho 16, 2005

Mais leitores

bravo pela sua candidatura ;acho que devemos mudar de geraçao .Acho que o seu programa vai no sentido de mudar para melhor a vida do nosso concelho.
Mais uma vez lhe peço atenção para os pequenos problemas que encontrei em s.pedro e os quais lhe fiz conhecimento,mas de toda a maneira pode contar com o meu apoio para a sua eleiçao
vitor dos santos

O blog do PS està bem representado


O Sr. Victor dos Santos é um marinhense que vive entre Paris e S. Pedro de Muel. É um cidadão atento às coisas da sua terra. Aproveitando as novas tecnologias, lá nos vai enviando os problemas que encontra. É útil e é também uma atitude de participação cívica que deve ser fomentada. Obrigado e um agradecimento pelo apoio.


João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 15, 2005

Àlvaro Manuel Marques Pereira

50 anos, farmacêutico, ex-presidente da Junta de Freguesia da Marinha Grande é o segundo da lista à Câmara Municipal.
Álvaro Pereira é um conhecido socialista marinhense, interveniente em inúmeras iniciativas da sociedade civil e, na sua actividade empresarial, é também um reconhecido filantropo.
A aceitação de mais este desafio honra o concelho da Marinha Grande.


João Paulo Pedrosa

terça-feira, junho 14, 2005

A palavras dos leitores

Com 35 anos de França, nunca deixei de ter um olho na nossa terra e agora,
mais do que nunca ,estou esperançado por novas ideias da sua jovem idade.Na
nossa bela cidade muito hà ainda para fazer, por isso, lhe desejo muita
sorte para levar a bem esse contrato que agora deseja obter.
José Carvalho

Marinhense residente em França hà 35 anos




Caro José Carvalho

É sempre bom ouvir as palavras dos nossos conterrâneos que estão longe, mas sempre "com um olho na nossa terra", pois, como dizia o grande poeta Miguel Torga "cada um só está bem onde lhe nasceram as raízes".
Obrigado pelas suas palavras e contamos com a sua contribuição para fazer da Marinha Grande uma terra mais desenvolvida e de prosperidade.


João Paulo Pedrosa

sábado, junho 11, 2005

Apontamentos de pré-campanha

Acabei de chegar das comemorações do 24º aniversário do Rancho de Picassinos, onde encontrei, coisa rara nestas festividades, o presidente da assembleia municipal e nosso adversário do PCP. À saída um munícipe aborda-nos e diz-me:

- " não concordo que a câmara tenha fixado a taxa do imposto sobre imóveis em 0,8% em vez de 0,6% (na verdade, em bom rigor, foi uma alteração legislativa do PSD da responsabilidade de Manuela Ferreira Leite)", [aproveitamento pronto do adversário], " vote no PCP que nós proporemos 0,6%", [resposta pronta do munícipe], " não, o meu voto vai para o João Paulo Pedrosa".

Uma boa lição para quem pretenda vir a prometer bacalhau a pataco.



João Paulo Pedrosa

A educação na Marinha Grande (I)

Quando o PS assumiu funções com a educação na câmara municipal e eu a sua condução directa, uma das minhas primeiras tarefas foi visitar todas as escolas do concelho (quase meia centena de edifícios), incluindo aquela onde andei trinta anos antes. Esta última estava exactamente na mesma, quero dizer, trinta anos pior. Até uma cantina construída nos anos 70, a única no concelho por sinal, nunca tinha funcionado. Era prioritário intervir aqui. Construir novas salas de aula, reforçar o transporte, fornecer alimentação, reparar a degradação do parque escolar edificado, criar espaços de recreio, reforçar os materiais pedagógicos, apostar no ensino experimental e nas novas tecnologias.
É, pois, necessário fazer o balanço, até porque a comparação vai ser feita com o trabalho dos meus adversários (os que tiveram responsabilidades, obviamente).


Hoje, entre pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico, somos responsáveis pelo serviço de 200 mil refeições/ano (passámos de zero a 100%);

- Cobertura total da rede de pré-escolar no concelho;

- Cobertura total dos edifícios escolares com aquecimento central;

- Cobertura total dos edifícios escolares com vedação alta de protecção, arranjos exteriores e polidesportivos;

- Construção, em todas as escolas com mais de 100 alunos, de uma biblioteca infantil, uma mediateca, um centro de recursos educativas e salas TIC (apetrechadas com uma grande quantidade de equipamentos informáticos);

- Criação de plano de actividades de expressão físico-motora que tem permitido, semanalmente, logo a partir do jardim de infância (3 anos de idade) , a todas as crianças uma actividade fisíca regular - natação e ginastica.

A partir daqui, para o futuro, a aposta deve ser no reforço dos recursos pedagógicos, ou seja, materiais, ensino experimental (criação de um centro de ciência viva e generalizar o pense industria), reforço dos equipamento informáticos, generalizar a rede de biblioteca infantis, apostar na introdução do ensino musical e permitir, em simultâneo, que os edifícios escolares possam manter todas as crianças de acordo com os horários de trabalho dos pais e encarregados de educação. Esta medida é tanto mais importante e necessária, quanto tivermos em conta que na Marinha Grande a taxa de empregabilidade feminina é das mais altas do país e por isso, mais que justificável, uma escola que vá ao encontro também das dificuldades das famílias.



João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 10, 2005

A saudação do professor

Caro João Paulo,
É com grande e sincero agrado que vejo (...) a grande nova que é a tua candidatura a [presidente de câmara]. Fico sinceramente satisfeito com isso, pois acredito que uma nova geração possa fazer melhor pelo país. Estou certo que será o caso, assim consigas, como desejo, ganhar as eleições (...) se me autorizares farei campanha por ti.
Um grande abraço, força e muita sorte neste novo desafio
Walter



O dr Walter Rodrigues foi meu professor de Sociologia Urbana, um bom professor por sinal. É também um excelente bloguer no seu Fórum Comunitário.
Agradeço-lhe as palavras amigas e o incentivo.

João Paulo Pedrosa

Intendência

informa-se que tem chegado bastante correspondência (felicitações, perguntas, comentários) que regularmente vai sendo colocada aqui. Obrigado a todos.

João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 08, 2005

Onde é que está o Wally ?

" experiência e juventude "
Artur Oliveira, 72 anos, candidato do PSD


João Paulo Pedrosa

A palavra dos leitores

Olá

Parabéns pelo blog, está explícito e descontraido, vou enviar aos amigos que ainda não converti.
Força e boa sorte.

Eunice Galvão

terça-feira, junho 07, 2005

Autárquicas 2005

Quem não sabe lidar com o tempo, não sabe lidar com a história.

Álvaro Neto Órfão
Presidente da Câmara da Marinha Grande

segunda-feira, junho 06, 2005

Palavras ditas

Paulo Baptista dos Santos - Dirigente Nacional do PSD

Na Marinha Grande não somos assim

sábado, junho 04, 2005

Três prioridades para o concelho

Em resposta a um órgão de comunicação social local, sem prejuízo do programa a apresentar posteriormente, definimos três importantes prioridades para o concelho da Marinha Grande:

1ª Dinamizar a economia e criar emprego, quero dizer, atrair iniciativas empresariais, apoiar o cluster local de engenharia de produto, moldes e plásticos, ajudando ao seu crescimento e fortalecimento, bem como a criação de um sistema de incentivos locais que potenciem a actividade empresarial e industrial e os seus produtos;

2ªPromover a qualidade de vida apostando na melhoria das acessibilidades, na cobertura total de saneamento até 2007 que é um factor decisivo para garantir condições de vida digna às populações, bem como na qualificação dos recursos humanos locais apostando na educação, na cultura e no desporto;

3ª Promover a cidadania e a solidariedade, incentivando a participação dos munícipes nas grandes decisões estratégicas para o futuro do concelho, apostar em políticas sociais de proximidade, em parceria com instituições da sociedade civil, de forma a responder com eficácia aos problemas e às necessidades das pessoas, sobretudo dos mais idosos e dos mais desfavorecidos;

João Paulo Pedrosa

sexta-feira, junho 03, 2005

A minha responsabilidade aumentou

O Sr João Barros, pessoa que estimo e considero, meu principal adversário na disputa pela presidência da Câmara Municipal da Marinha Grande, em resposta a um jornal local sobre a razão porque era o melhor candidato da CDU, responde assim:- " Penso que não sou o melhor candidato, sou o candidato possível (...)"

João Paulo Pedrosa

quinta-feira, junho 02, 2005

O valor da amizade

Caro “Baixinho” (se me permites a terminologia académica),folgo ver-te em tão fulgurante carreira política culminando agora numa candidatura à própria presidência da Câmara da Marinha Grande. Apesar de não partilhar da tua “cor partidária” desejo-te a maior das felicidades, que venças e contribuas para uma Marinha Grande melhor. Tenho várias pessoas conhecidas que votam aí, e o meu próprio irmão trabalha numa fábrica de moldes no teu concelho. Como tal, não poderei deixar de dar boas referências a teu respeito como amigo (de grandes tempos passados) e sobretudo de um grande benfiquista cuja alma deve estar ainda eufórica após tão longo jejum.

Recordo-te que tínhamos festejado juntos (tu, eu, o Casé e o Pestana) o último campeonato em 1993.

Um forte abraço para ti e a tua família,



Victor

agradeço as tuas palavras amigas e é verdade que já nem me lembrava desse título, bem lembrado caro amigo,
Um abraço,
João Paulo Pedrosa

Uma preocupação adiada

Nas campanhas eleitorais, o que menos gosto, tem a ver com a proliferação desmedida de propaganda, em qualquer sítio, sem quaisquer regras. Ainda tenho esperança que, há semelhança de muitos países da europa, no futuro possa haver um espaço público especifico para afixação de cartazes. Enquanto isso não se verifica é preciso dar passos concretos para melhorar o nível de poluição urbana que as campanham atingem. Deste modo, propus aos meus adversários políticos do PCP que os espaço públicos a utilizar, fossem estudados em conjunto e destribuidos de forma equitativa. É óbvio que não tinha grande esperança num acordo na medida em que, neste momento, na Marinha Grande o PCP já inundou todas ruas, cruzamentos e pracetas com a propaganda eleitoral deles. Devido a hábitos antigos, nos concelhos onde o PCP é forte, dificilmente uma campanha com preocupações ambientais pode ser conseguida. É pena !

João Paulo Pedrosa

Surpresa

Na passada semana, na conferência de imprensa em que apresentei os nomes votados pela concelhia do PS da Marinha Grande para os diversos órgãos autárquicos do concelho, apresentei ainda a minha declaração de interesses, rendimentos e património, assumindo o compromisso de os tornar público anualmente e enquanto exercer semelhantes funções públicas. Dada a actualidade destas matérias, pensei que os jornais locais fizessem notícia disso. Ao contrário, não fizeram referencia nenhuma ao assunto e colocaram-me na primeira página com uma bandeira a festejar a vitória do Benfica. Vá lá entender-se a dinâmica dos conteúdos da comunicação social.

João Paulo Pedrosa

quarta-feira, junho 01, 2005

Blogues

Cheguei à blogosfera pelo País Relativo. Agradeço, ao Pedro, ao Filipe, ao Miguel, ao Mark, à Mariana, ao Rui e à Coluna Infame o prazer que me deram de os ler. Nos blogues descobri enormes talentos, gente que pensa e escreve muito bem. Foram dois anos de prazer, sobretudo, prazer. Por razões também afectivas os meus bloguers de eleição são três, o Filipe Nunes Vicente do Mar Salgado, o Daniel Oliveira (que não sei em que blogue está, porque está em todo o lado ao mesmo tempo) e o Rogério da Costa Pereira do Afixe.
Estou em crer que a blogosfera nacional foi do melhor que aconteceu à democracia e à cultura portuguesa nos úlimos 30 anos. Obrigado.

João Paulo Pedrosa